Conversas com Honra - Eduardo Garcia



Eduardo Garcia, reconhecido Sportinguista e comentador do programa Juízo Final na Sporting TV, foi convidado para a Comissão de Honra de Bruno de Carvalho e aceitou sem olhar para trás.

"A recuperação da auto-estima, orgulho e da onda verde será sempre um marco fantástico deste mandato. Sem esquecer o pavilhão, a recuperação financeira, o nascimento de novas modalidades - com destaque para o futebol feminino - ou os títulos internacionais como o do atletismo"

[Tu Vais Vencer] Antes de mais: obrigado por aceitares este convite! É uma honra muito grande para mim ter-te "aqui". Comecemos pelo essencial: que balanço fazes deste mandato de Bruno de Carvalho? Principais feitos, principais falhas e um marco histórico?

[Eduardo Garcia] Para mim é um prazer. E estar à conversa com um grande Sportinguista que tanto faz pelo clube uma "obrigação".
Quando BdC chegou ao Sporting o clube, infelizmente para todos nós Sportinguistas, encontrava-se nuns dos momentos mais tristes da história. Era uma época decisiva. Tinha-se de fazer alguma coisa para salvar o nosso grande amor - a pressão sobre adeptos/sócios na escolha a fazer e na direcção que tomasse posse com tanto de tão importante a fazer e com tão pouco tempo
O clube estava à beira da falência, modalidades cada vez em menor número e cada vez menos competitivas, sem pavilhão, a perder património não desportivo, etc. e etc. -  e, talvez o mais importante de tudo: a nossa auto-estima e a forma como éramos percepcionados de fora. Ainda me dá vontade de chorar a frase que tanto ouvia: " simpatizo muito com o Sporting, não gosto é do outro..."
Dito isto e respondendo diretamente: Mandato muito positivo em que ficou a faltar o titulo na equipa de futebol. Ainda acredito que pode ser este ano.
A recuperação da auto-estima, orgulho e da onda verde será sempre um marco fantástico deste mandato. Sem esquecer o pavilhão, a recuperação financeira, o nascimento de novas modalidades - com destaque para o futebol feminino - ou os títulos internacionais como o do atletismo.

[TVV] Foi, então, fácil aceitar o convite do Presidente para a comissão de honra?
[EG] Quando recebi o convite fiquei muito orgulhoso. O Sporting mexe mesmo muito comigo. É uma paixão louca, quase inexplicável. Lembro-me de ser muito novo e chorar sozinho algumas derrotas. A escolha de um presidente do meu Sporting é uma decisão que tem uma influência tremenda na minha vida. Como acredito que BdC é o homem certo - para mim foi uma honra poder, publicamente, contribuir para a sua possível eleição

"Todos nós Sportinguistas podemos sempre fazer um pouco mais pelo clube. Nem que seja trazer mais um sócio ou convencer mais um amigo a ser Sportinguista. Muitos já fazem muito pelo clube, muito mesmo, isso não está em causa!"

[TVV] Parabéns por esse momento, Eduardo! Aposto que o recordarás para sempre.  Eu, pessoalmente, acho que a missão pavilhão é o grande marco histórico deste mandato. Não pelo pavilhão mas pela sinergia entre adeptos e clube que se uniram para reunir as verbas necessárias. Posto isto: não achas impressionante esta clivagem entre o adepto anónimo que faz tudo pelo clube e a falta de militância nas altas esferas onde poucos se atravessam para defender o Sporting? O clube pode fazer algo para melhorar este aspecto?
[EG] Não podia estar mais de acordo. Aliás, isso é um problema de há muito no Sporting. A militância em termos de apoio às suas equipas e atletas dos adeptos e sócios do Sporting é extraordinária. Caso único em Portugal e muito raro em todo o mundo. Um clube como o nosso que, infelizmente como sabemos, ganhou muito pouco em termos de futebol nos últimos 30 anos e que tem gerações que practicamente só viram 1 titulo e mesmo assim tem o apoio que tem é formidável. Ainda no outro dia o Nuno Matos da antena 1 estava maravilhado com a quantidade de jovens atrás da equipa. Mas a militância que penso estar implícita na pergunta e à qual eu respondo no início da resposta não é essa. Digo isto porque muita gente confundiu as duas militâncias quando o presidente falou sobre este tema. Todos nós Sportinguistas podemos sempre fazer um pouco mais pelo clube. Nem que seja trazer mais um sócio ou convencer mais um amigo a ser Sportinguista. Muitos já fazem muito pelo clube, muito mesmo, isso não está em causa! Todas as semanas ouço histórias de adeptos que me deixam muito orgulhoso de os ter conhecido - seja pelo apoio que dão a todas a modalidades ou pelos quilómetros que fazem para ver a equipa de futebol jogar. Há um lado que é o amor e a paixão onde o clube apenas pode no seu dia a dia contribuir para que nos identifiquemos ainda mais com o caminho a seguir e aqui o trabalho tem tido resultados notáveis - basta ver a média de assistências ou o número de sócios e depois há o lado onde chegamos à questão principal da pergunta: nem todos os sócios e adeptos no seu dia a dia têm o poder de poder aplicar a militância Sportinguista acima de algum pudor ou supostos bons costumes. Somos muito anjinhos e pouco corporativistas neste aspecto. Há muita gente que não põe o Sporting à frente! Tem de se passar a defender mais o clube em todas as áreas onde temos acesso. Todas!

[TVV] Tu que dá a cara diariamente pelo Sporting sentes que tem influência na tua vida? Sentes que te penaliza de alguma maneira?
[EG] A influência que tem é eu ir dormir a saber que fiz tudo o que podia fazer para o meu Sporting estar um pouco mais perto de ser ainda mais forte. O que eu faço sozinho é quase irrelevante. O que nós clube temos de conseguir é 3.5M de adeptos todos os dias a somarem a este bocadinho. E onde isso tem faltado é nas áreas da nossa sociedade ou que têm mais visibilidade ou mais poder. Ninguém, como é obvio, diz para se cometerem ilegalidades. Não é essa a questão. É defendermos sem medo de dar a cara publicamente, é defendermos as injustiças que possamos ver a acontecer, é tentarmos sensibilizar quem nos rodeia, é não pactuar com um sistema instalado que nos prejudica, é levantar a voz sempre que vejamos que o Sporting vai estar mais fraco por causa de acontecimento à nossa volta!
Nem penso nessa questão de me penalizar, apesar achar que não. Dentro dos meus valores e princípios o mais importante é poder contribuir nem que seja com um grão de areia para o engrandecimento do Sporting. O resto é acessório



[TVV] Por falar em dar a cara: Temos visto cada vez mais árbitros adeptos do benfica a manifestar os seus gostos nas redes sociais. O mesmo se aplica a jornalistas. Achas que são tempos em que é inocência ou perdeu-se completamente a vergonha?
[EG] Gostava muito de dizer que foi a inocência que se perdeu, mas isso não é verdade. É normal as pessoas terem um clube. O que não é normal é um profissional de uma actividade directamente relacionada com o futebol ter um comportamento público condenável, em particular nas redes sociais, que depois explica facilmente algumas decisões que foram tomadas na sua área profissional. São várias as vezes que vemos - graças ao fantástico trabalho que os blogs afectos ao Sporting fazem diariamente. (Militância) - jornalistas e árbitros a terem invariavelmente comentários de gozo com o Sporting, o seu Presidente e o seu treinador. Na vida temos de ter brio profissional e ética que devem ser transpostos para o comportamento na nossa vida pessoal. Quando chegamos a um ponto em que já se confunde, e até se aplaude esta suposta liberdade de acção, o adepto fanático com o profissional algo está muito errado.

[TVV] Enquanto falamos acaba de sair mais um castigo a Jorge Jesus, isto antes não era assim...
[EG] Até ao dia das eleições vai ser muito duro! Não se tenha dúvidas disso!

[TVV] Como vês a candidatura de Pedro Madeira Rodrigues? Crês que soube tirar o devido partido dos resultados menos felizes da equipa de futebol?
[EG] O Sporting é um clube democrático. Todos os sócios que pensem poder ser uma mais valia ao clube têm toda a liberdade e o aplauso dos sócios para se candidatarem e apresentarem as suas ideias. Já li/ouvi alguns patetas dizerem que o facto de haver mais do que um candidato, ao contrário do seu clube, só mostrava que o líder era fraco e que não havia união. Frases como esta seriam normais num país como a Coreia do Norte e só mostram o medo que estes personagens têm do rumo que o Sporting está a seguir. 
Em relação ao PMR o timing de lançamento da sua candidatura não foi o mais feliz. A equipa de futebol e todo o universo desportivo do Sporting devem estar à margem das eleições - os candidatos devem ter isso em atenção durante a campanha. PMR até agora pautou pelo que não quer fazer igual a BdC e focou-se muito nas criticas. Fico com a ideia que o lançamento da sua candidatura foi de algum modo precipitado no tempo - digo isto por ainda sabermos muito pouco das suas ideias ou da sua equipa.  

[TVV]Futebol ou modalidades ou "Futebol e modalidades"?
[EG] Em termos de filosofia para o Sporting ou de aposta?
[TVV] Filosofia para o Sporting
[EG] Futebol e modalidades! Cresci a ouvir histórias do meu avô e do meu pai do nosso Sporting sem nunca distinguir as duas. O sarau de ginástica, as vitórias do Fernando Mamede ou do Carlos Lopes e as corridas do Joaquim Agostinho eram contadas com o mesmo entusiasmo que a vitória ao Man Utd! Este é o meu Sporting. E por isso é tão importante o Pavilhão João Rocha. Mais do que a utilidade física é o que representa para o nosso intimo.




"Como LFV previu - importante era ter as pessoas certas nos lugares certos."

[TVV] Como vês o actual momento do futebol do Sporting?
[EG] Acredito sinceramente que ainda podemos ser campeões este ano fazendo uma segunda volta como a do ano passado. No inicio de época não pensava ser possível estar nesta posição no final da primeira volta. Com o plantel que foi construído e mantendo JJ tinha as expectativas no máximo. Se houve coisas que mudaram no Sporting no último mandato em comparação com os últimos 20 anos foi a mentalidade - desde o presidente, aos jogadores, ao treinador e a acabar nos adeptos. Existe mais ambição, mais confiança, mais vontade e exigência em estar sempre lá em cima. Agora também não nos podemos esquecer que temos sido muito prejudicados pela arbitragem com a complacência de quem manda e a mão de quem tem o dever de informar. Eu sou da geração que sofreu com o apito dourado nos anos 90 e seguintes. Vi equipas fantásticas do Sporting não ganharem nada. Vi uma equipa de sonho que só conseguiu uma Taça de Portugal. Foram anos e anos com o Porto a dominar e a fazer o queria da arbitragem. Fomos dos "quinhentinhos" e viagens ao Brasil até à "fruta com café" das escutas do apito dourado. Actualmente o sistema apenas mudou de cor. Como LFV previu - importante era ter as pessoas certas nos lugares certos. Um exercício de triste contorcionismo intelectual e de carácter é comparar o discurso de PdC há uns anos - os burros é que falam de arbitragem para ataques diários aos árbitros - e de LFV e a sua entourage - os maiores ataques que já assistimos à arbitragem em Portugal (sem consequências)  para esta defesa do status quo actual contra tudo o que seja alterar a influência humana na decisão). Estas formas de estar dizem tudo sobre o "sistema actual". Não podemos dissociar os resultados de uma equipa desportiva ao que acontece que não devia acontecer e que influência o seu resultado. Isso seria compactuar com o erro, a mediocridade e a falta de exigência. Para completar isto tudo temos jornalistas a passar a informação exactamente igual à da máquina de comunicação da luz, programas pejados de comentadores afectos ao mesmo clube - não havendo contraditório. Ou ex árbitros que vão saltitando entre a btv e os outros canais. E este moldar de opinião têm influencia práctica nas decisões!

[TVV] Sei que és um tipo que mal dorme nas noites de fecho de mercado - que nome gostavas de ver inscrito na liga pelo Sporting a 31 de Janeiro?
[EG] O fecho de mercado é sempre um sofrimento. Era importante conseguir enfraquecer o nosso rival. Ia buscar-lhes o melhor jogador deles esta época: o Jorge Sousa. Em 90 minutos foi mais decisivo e importante que qualquer outro elemento em meia época.  

[TVV] Era sem dúvida uma grande contratação! Para finalizar, que mensagem gostavas de deixar aos leitores do Tu Vais Vencer e aos Sportinguistas no geral?
[EG] Antes de mais quero agradecer o convite. Foi um prazer enorme esta conversa! É muito importante haver blogs/fontes de informação como o TVV. A comunicação social está cada vez mais parcial e com menor qualidade. Não é por acaso esta mudança de paradigma a nível mundial - as pessoas cada vez se identificam menos com o tipo de jornalismo actual e cada vez mais vão procurar diferentes canais de distribuição. A sociedade e o desporto em particular precisam de pessoas atentas e que denunciem sem medo tudo o que pensem ser prejudicais àquilo em que acreditam. O Sporting precisa, cada vez mais, de nós Sportinguistas unidos, atentos e pró-acticos naquilo que são os interesses do clube - em tudo o que acreditemos que seja importante para estarmos mais perto de ser um clube ainda maior!

[TVV] Obrigado eu, Eduardo! É uma honra ter-te a defender as cores do nosso Clube!




Comentários