2017-01-24



Quem se deixa corromper por 150 euros?




Este pobre idiota não sabe as novas leis que 150 euros e refeições não representam uma tentativa de corrupção... Afinal de contas ainda há árbitros sérios. A parte triste? Este idiota nunca chegará à primeira liga...
Juiz da partida encontrou prendas no balneário do Gens Sport Club, de Gondomar, antes do jogo com o S. Lourenço do Douro, e entregou-as à GNR.
Um árbitro encontrou três caixas de vinho e um envelope com 150 euros em notas no balneário de um clube de Gondomar, antes de um jogo a contar para a 1.ª Divisão Distrital, série 2, de Seniores da Associação de Futebol do Porto (AFP) entre aquela equipa e uma outra do Marco de Canaveses.

Sem grandes dúvidas quanto à intenção das prendas, logo que a GNR chegou denunciou o caso, que está já a ser investigado pelo Ministério Público e é alvo de um inquérito na AFP. Para o presidente de um dos clubes envolvidos nesse encontro não restam dúvidas: as caixas de vinho e o dinheiro tinham a finalidade de subornar a equipa da arbitragem.
Foi no passado dia 8 que o Gens Sport Clube, de Gondomar, recebeu o ARC São Lourenço do Douro, do Marco de Canaveses. Para dirigir o desafio foi nomeado José Moreira, 37 anos, e que chegou, juntamente com os colegas de equipa, ao Parque Desportivo de Gens com a antecedência devida. Logo que entrou nos balneários deparou-se com as caixas a um canto. Numa delas estava colado um envelope. "Não toquei nem nas caixas, nem no envelope. Saí para fazer a vistoria ao campo e quando regressei ao balneário a GNR já tinha chegado. Foi então que, na presença dos delegados ao jogo das duas equipas, informei a GNR da existência daqueles objetos", recorda José Moreira.
Inquérito ao jogo
Perante a denúncia, a GNR abriu o envelope e confirmou que este continha três notas de 50 euros e também recolheu as garrafas de vinho, elaborando, ainda no local, um auto de notícia.

O JN sabe que o caso já foi comunicado ao MP junto do Tribunal de Gondomar. Também a AFP anunciou, na circular de mapas de castigos publicada esta semana, que instaurou um inquérito a este jogo. Mas não revelou, mesmo quando confrontada pelo JN com o que se passou em Gens, qual o motivo da averiguação.
Quem também recusou falar sobre o sucedido foi o vice-presidente do Gens Sport Clube, Nuno Silva. "Vou ser ouvido para a semana e, para já, não comento o caso", disse. Já o presidente do ARC São Lourenço do Douro, António Monteiro, tem uma explicação simples para o caso. "Era para subornar o árbitro. Não tenho dúvidas", afirma. O dirigente assume, ainda, que vários diretores de outros clubes já se tinham queixado de arbitragens.

Sem comentários :

Enviar um comentário