Os adeptos do Sporting não estão preparados para lutar pelo título!




É inacreditável o amargo de boca que fica depois de uma jornada em que ganhamos o nosso jogo e ambos os nossos rivais perdem pontos. Ver dois clubes, treinados por pessoas que nem no elenco dos marretas passariam por líderes, à nossa frente é desgostante. E é tão mais desgostante quanto mais nos apercebemos que atirámos a toalha ao chão cedo demais. Não que agora interesse muito, mas ainda interessa qualquer coisa. E digo "atirámos" - Sportinguistas no geral - porque a culpa não deve morrer solteira.

"Porque é que quando o Sporting não está bem, o Braga e o Guimarães fazem sempre bons campeonatos?" - era a pergunta que muitos Sportinguistas faziam imediatamente a seguir à derrota no Dragão. E muitos outros ainda foram mais baixo "Agora é ver se o Porto é campeão em vez do benfica", atirando a toalha ao chão e esquecendo toda a história de um clube com mais de 110 anos. Foi a questão dos "dragartos" que mais nos lesou nos últimos vinte anos. Não éramos campeões mas "ao menos" ficávamos em segundo. Patético.


É sempre mais fácil viver uma vida mediana. Não gerar expectativas para depois não ter que lidar com uma potencial desilusão. E os Sportinguistas entraram nessa fase.

“I find my life is a lot easier the lower I keep my expectations.” ― Bill Watterson

O final do ano passado foi duro para nós. Lutámos até ao fim e não fomos capazes de ganhar o título e isso deixou marcas nos adeptos. Este ano entrámos a medo e o medo não nos permitiu ir mais longe. Tivemos medo de arriscar, de levar o campeonato até ao fim e acabámos escondidos atrás das eleições. O semblante dos Sportinguistas ia ficando mais descansado à medida que éramos afastados de competições. O peso da responsabilidade de ganhar ainda é grande demais para quem quer ser apenas mediano. Esta doença nunca mais acaba! Ganhar é um hábito que requer não ter medo de falhar.



Mas o importante é formar...

De facto, o ADN do Sporting assenta na formação. Mas formar por formar não serve de nada. Jogadores da formação devem trazer consigo o "querer o Sporting Campeão" acima de tudo. Explicar a quem vem de fora que chegou a um Clube eclético, que honra a prática do desporto mas que, acima de tudo, luta pela conquista de títulos e por se impor. Caso contrário nunca seremos tão grandes como os maiores da Europa, seremos apenas tão ecléticos como os mais ecléticos da Europa.

E o Chico Geraldes e o Podence...

O Sporting tem um treinador. Quem acha que é mais competente que ele, faça o seu CV e envie para os recursos humanos do Sporting. Se as pessoas fossem tão competentes nos seus empregos como esperam que Jorge Jesus seja, este país tinha um índice de produtividade superior ao do Calor da Noite naquelas épocas do inicio dos anos 90. Mas, mais que isso, porque é que pedem jogadores da formação na equipa principal se, mal falham um passe, são logo assobiados? Pede-se sangue de Leão em campo mas depois assobia-se e critica-se de forma completamente absurda.


A relva é sempre mais verde do outro lado

Quando o Porto contratou Soares, foram logo os Sportinguistas que não resistiram às comparações com Castaignos e André Felipe e a verdade é que o Porto efectivamente melhorou com a entrada de Soares mas não é menos verdade que para acertar em Soares, o Porto teve André Silva e Depoitre enquanto nós acertámos logo à primeira: em Bas Dost. O desejo de criticar é tão grande que ainda Markovic não tinha entrado em campo pela primeira vez e já estava a ser assobiado. Depois esperamos que produzam?




Os adeptos "diferentes"

Apesar de enchermos o peito para dizer "estamos a 12 pontos do primeiro mas temos o estádio cheio" somos também os primeiros a criticar as escolhas do treinador, mesmo quando se revelam boas. No final do jogo contra o Nacional todos achámos que foi uma exibição fraquinha mas a verdade é que metemos duas lá dentro, na primeira volta jogámos melhor e empatámos a zero. Aposto que o benfica e o Porto acrescentavam dois anos à data da fundação para ter tido um daqueles golos do Bas Dost. Os golos não se merecem, marcam-se. As vitórias não se merecem, conquistam-se! E enquanto andarmos a discutir a qualidade do futebol em vez de discutir o que é preciso para ganhar, continuaremos a não ganhar NADA! Queremos ser tão diferentes que deixamos de ser competidores para ser analistas e masturbadores de egos. A diferença entre um profissional e um amador não é o seu talento, é o valor que cobra pelo seu trabalho. A diferença entre um campeão e o segundo lugar não é a qualidade do futebol, é a conquista de mais pontos.


A dura realidade é que os adeptos do Sporting não estão preparados para lutar pelo título. Não estão preparados para querer ganhar a qualquer custo. Não estão preparados para reagir a tropeções e, muito menos, a empurrões. Queremos fazer a corrida com os calções sempre limpos, com medo de nos sujarmos. Enquanto assim for seremos sempre o Clube indicado para a prática da educação física e não para conquistar aquilo que temos medo de ter.


Comentários

  1. Interessante reflexão, concordo com a maioria. É por isso que sou a favor do Presidente ter o discurso que têm, de não ter medo de se assumir como candidato ao título.

    Depois quando as coisas correm menos bem, vêm os treinadores de bancada dizer que a culpa é de um discurso ambicioso que coloca demasiada pressão em tudo e todos.

    Primeiro passo para se atingir qualquer objectivo é, efetivamente querer atingir esse objectivo e não ter medo de o assumir. Não é suficiente, mas é por ai que se começa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo. Foi assim que o Fernando Santos ganhou o Euro. Primeiro numa entrevista e depois na célebre conferência de imprensa quando disse que só voltava dia 11 e em festa.

      Eliminar
  2. Concordo com o que foi dito no texto. Mas o verdadeiro problema está precisamente no que foi dito no último parágrafo.
    Os sportinguistas querem títulos por mérito desportivo e não por subversão e jogadas de bastidores. Daí serem desconfiados.
    Negar a existência disto é negar a nossa própria inteligência.

    ResponderEliminar
  3. "Os sportinguistas querem títulos por mérito desportivo e não por subversão e jogadas de bastidores"
    Foi com estas teorias que se deixou que em 40 anos o clube definhasse ao ponto de ter a sua sobrevivencia em risco.
    Os grandes Clubes fazem-se de conquistas e titulos!
    Um Homem honesto mas morto num reino de bandidos não serve de nada a ninguem!
    E os bandidos ainda agradecem dos honestos nao terem sobrevivido!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por isso há que denunciar os bandidos e restabelecer a ordem correcta.
      Caso contrário, tudo isto é uma farsa.

      Eliminar
  4. Vamos falar na era JJ. O passado já era...apesar de termos tido um treinador LJ que se o deixassem podia alcançar o que todos nós desejamos, ser campeão !O ano passado estivemos com 7 pontos de avanço, perdemos 2 em Guimarães e 3 com o Benfica. Quem falhou na hora "H" ? Bryan Ruiz 2 vezes em frente do GR do Vitória e duas vezes a meio metro da baliza sem GR atirou por cima. Este ano o espectro também começou em Guimarães onde chegámos a 3-1 e depois a vedeta da equipa WC que joga a passo, fez um penalty e no último minuto sofremos um golo falso. Em Vila do Conde o JJ inventou ao colocar chuta-chuta a DE. Foi por aquele corredor que aquele menino Gil Dias partiu a loiça. A nossa defesa sofre muitos golos fora há 6/7 equipas com menos golos sofridos fora, não contando com o SLB e FCP. Assim com este cenário como vamos poder ser campeões ? Não é falta de ambição nem ambição a mais. É falta de talento do plantel e também das invenções do JJ. A equipa que jogou e ganhou em Tondela da forma que se viu, era a que devia ter entrado contra o Nacional. Vai meter o Alan e deixa o miúdo de fora e depois ainda tem a lata de dizer que com a saída do Alan equipa perdeu qualidade.Por que non te callas ?

    ResponderEliminar
  5. Mas afinal os adeptos metem pressão a mais ou a menos? Decidam-s o JJ também nao tem culpas no cartório?

    ResponderEliminar
  6. Excelente texto/desabafo.
    "Não estão preparados para reagir a tropeções e, muito menos, a empurrões. Queremos fazer a corrida com os calções sempre limpos, com medo de nos sujarmos."
    Isto. O ano passado começámos lindamente, depois fomos perdendo gás até chegarmos a Guimarães, que para mim foi o jogo que deitou tudo a perder. E prova disso foi o William, que tinha sido capitão nesse jogo, a dirigir-se aos adeptos e a dizer que ainda estávamos em 1º. Como adeptos somos os primeiros a perder a fé nos jogadores ao 1º precalço, principalmente quando estamos em 1º no campeonato. Tantos anos sem ganhar tiraram-nos a mentalidade vencedora. Se existem 2 pessoas que conseguirão devolver isso ao Sporting Clube de Portugal essas pessoas serão Bruno de Carvalho e Jorge Jesus. A nós cabe-nos dar-lhes o voto de confiança.

    ResponderEliminar
  7. Quem me dera que o Sporting não ganhasse devido à atitude dos adeptos, pois seria um problema fácil de resolver. Infelizmente a atitude dos adeptos é como é porque o Sporting não tem sido um clube ganhador no futebol do sénior.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário