Queixinhas? Não, donos disto tudo!



O Sporting já o ano passado cometeu o mesmo erro: deixou-se ir na cantiga do benfica. Na manipulaçãozinha diária que nos era enfiada diariamente pelos olhos a dentro. Este ano prepara-se para acontecer a mesma coisa com o Porto a juntar-se à marcha dos desalinhados.

Pedro Proença, Fontelas Gomes, Fernando Gomes e José Manuel Meirim são uma espécie de reedição do dueto (desta vez, quarteto) Ágata e Romana a cantar o "De mulher para mulher". E são igualmente patéticos - em 5 dias viram o benfica boicotar a Gala Quinas de Ouro e o jogo da selecção no próprio estádio da luz. Mas, pelo meio, foram à Gala do benfica. É este o exemplo do dirigismo português: gente mal tratada mas que mal tem uma oportunidade vai de joelhos satisfazer quem lhe bate. Até o lema é o mesmo...

Imagem de Nuno Valinhas


Mas este tipo de comportamento já não nos surpreende. O que realmente me choca é a incapacidade que Sporting e Porto têm de reagir. Neste momento temos umas palas nos olhos e só vemos em frente e a curta distância. Eles fazem o que querem e o mais que nós fazemos é chamá-los de queixinhas.



O Presidente do Sporting disse uma vez "bardamerda" e caiu o Carmo e a Trindade, o benfica faz isto e não merece análise nenhuma. Ainda tivemos que levar com Nuno Farinha (director adjunto do record) a dizer que o benfica "apenas pedia justiça". O clube mais beneficiado nos últimos anos pede "justiça"? É como um traficante de droga pedir prisão a um proxeneta.

O benfica mexe-se com semanas de antecedência. Prepara as suas jogadas e encontra zero resistência em nós, nos seus adversários.

Nestes últimos anos, eles transformaram todas as nossas queixas em movimentos de propaganda e até cachecóis a dizer "#colinho" vendem de forma a descredibilizar-nos. E nós? Não boicotamos nada, não temos pulso em nada, não nos impomos em nada. Vamos vendo a procissão à distância a carregar o andor do Santo Vieira.

Eles são aquele carro na estrada que já passou 10 vermelhos e nós somos quem vai atrás a fazer sinal de luzes. Não influenciamos nada mas pensamos "levou com os máximos que se lixou..".

O futuro do campeonato já está resolvido, bem como o do futebol português. Eles podem ter o rótulo de queixinhas mas vão levar água ao seu moinho enquanto nós vamos ficar ad eternum aqui a sentados a criticar. Porque é mais fácil levantar o dedo do que nos sujarmos da mesma maneira. Continuamos a lutar uma guerra nuclear equipados com bisnagas.

Enquanto não tivermos pulso nisto, nada mudará. E ter pulso é uma atitude que vai desde o Presidente até ao adepto comum, passando pelos comentadores e pelas claques. Não temos que falar todos a uma só voz mas temos todos que querer o mesmo: O Sporting Campeão, custe o que custar!


Comentários

  1. Excelente post.

    O Sporting adoptou este ano uma postura de menino bem comportado que nos trouxe zero de benefícios.

    A arbitragem continuou a gamar-nos como quis e nós pouco ou nada os criticamos, parecendo mesmo que andamos felizes com o que nos tem calhado em sorte de apito na boca.

    Os jornalistas continuam a ser os mesmos avençados, desrespeitando o clube, jogadores e dirigentes sempre que podem, mas continua a não haver uma resposta à altura que passaria pela proibição no acesso a Alvalade por gente vinda da Bola, CM, Record, Jogo ou Mais Futebol.

    Caso para perguntar a BdC o que vê de positivo na adopção desta postura...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Os jornalistas continuam a ser os mesmos avençados, desrespeitando o clube, jogadores e dirigentes sempre que podem, mas continua a não haver uma resposta à altura que passaria pela proibição no acesso a Alvalade por gente vinda da Bola, CM, Record, Jogo ou Mais Futebol."

      Outro bull's eye!!!

      Eliminar
  2. Então se são os (alguns) próprios adeptos do Sporting os primeiros a criticar logo que Bruno Carvalho ou outros, ligados ao club, dizem alguma coisa, vamos aonde?

    ResponderEliminar

Enviar um comentário