O atentado à liberdade de Bruno de Carvalho



Há relativamente um mês vi passar um tweet da Sofia Oliveira, jornalista da Sporting TV, e fiquei a matutar no assunto.

Vivemos tempos em que a manipulação dos factos dá de comer a mais gente que o vinho dava na altura do Salazar e essa manipulação tem sido levada ao extremo quando o tema é o Sporting e, por consequência, o seu Presidente, Bruno de Carvalho.

À parte da justiça do castigo de 113 dias, que tipo de entidade pode impedir uma pessoa de dar uma entrevista ou de falar publicamente? Se estivesse num processo que envolvesse segredo de justiça ou tivesse assinado um NDA, ainda percebia. Mas, que saiba, discutir questões triviais de futebol e que estão à vista de todos parece-me estar MUITO LONGE de ser algo abrangido pelo segredo de justiça

Qual é então a motivação para avançar com um novo castigo sobre Bruno de Carvalho depois da entrevista à TVI? A verdade é que não há nenhum motivo racional. Apenas um motivo emocional - Bruno desafiou as instâncias e o poder instalado no futebol português e, como tal, está a ser perseguido.

Vivemos tempos em que ser anti-Sporting ainda é aceitável mas ser anti-benfica já é fanatismo (a frase não é minha, mas achei que devia usar). Já ultrapassámos há muito a mera questão da rivalidade desportiva e vamos sentindo cada vez mais que não se pode dizer em muitos sítios que somos do Sporting pois só ser do benfica é que é correcto.

Esta não é a primeira vez que as pessoas são perseguidas pelas suas crenças. Toda a história da humanidade é preenchida por relatos de povos perseguidos e oprimidos. Não estou a comparar com o sofrimento a que os judeus foram sujeitos na Alemanha nazi mas começa-se a notar que esta perseguição não é inocente e tem exactamente os mesmos sintomas: Um líder de bigode escondido atrás de um propagandista, a imprensa controlada, uma esfera de influência na banca/indústria e, a pièce de résistance de qualquer ditadura, o povo idiota que papa tudo o que lhe metem à frente dos olhos.


Comentários

  1. Acho que o Sporting devia ponderar seriamente uma queixa contra a FPF, no Conselho Superior de Desporto, com vista à suspensão da Utilidade Pública Desportiva por violação da Constituição da República Portuguesa.

    ResponderEliminar
  2. Completamente de acordo com o artigo. Acho que se deveria lançar uma campanha para sensibilizar os Sportinguistas, que estão como comentadores nos vários canais, abandonassem os programas como manifestação de SOLIDARIEDADE COM BRUNO DE CARVALHO E O SPORTING. VAMOS TENTAR? VOCÊS QUE CHEGAM LONGE COM OS VOSSOS ARTIGOS BEM PODIAM LANÇAR ESTA CAMPANHA.

    ResponderEliminar
  3. Meus amigos.
    Eu sei que é duro ver o presidente do Sporting suspenso e impedido de falar durante a sua suspensão.

    Eu no início também pensei que teria voltado a Portugal a falta da Liberdade, que o Conselho de Disciplina estaria abusar de um direito que a Constituição dá direito ao cidadão.

    Mas não!Ao contrário do que possa parecer, nada de ilegal está nesta proibição de falar.

    A culpa desta situação é totalmente dos clubes quando aceitaram competir sobre este regulamento, das normas da FPF e da Liga, enquadradas nos respectivos regimes jurídicos, que são supervisionados pela FIFA e pela UEFA.

    Nesta altura Bruno Carvalho está preso a este regulamento e, bem pode ir queixar-se a todos os tribunais, que enquanto estes regulamentos e normas existirem e a UEFA e FIFA continuarem a supervisionarem, irá perder todas as ações.

    O que o Presidente do Sporting deve fazer nesta altura, é calar-se -mesmo sentindo-se injustiçado- e cumprir o castigo.Quando o castigo acabar, Bruno Carvalho deve pedir uma Assembleia Geral à FPF e à Liga de clubes, e apresentar uma proposta de mudança de regulamento, porque na verdade o que se encontra em vigor é uma autêntica aberração, e um atropelo aos direitos do cidadão.



    ResponderEliminar

Enviar um comentário