Bruno de Carvalho “Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.”



“Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.” Começa assim o poema ‘Mar Português’ de FernandoPessoa.

Nele, o poeta, um dos maiores de sempre, propõe-se a analisar o sacrifício de todos os portugueses durante os Descobrimentos. Tudo o que o nosso Povo fez para conquistar o Mar. Para que tivéssemos um dos maiores impérios de todos os tempos.

Normalmente é assim: quando queremos muito algo, sabemos que é preciso sacrifício.

Pois bem, no próximo dia 21 de junho, o esforço de todos os Sportinguistas será recompensado. Todos sonhámos com este momento e a obra vai, finalmente, nascer.

Penso que conseguem imaginar a alegria, o orgulho e a satisfação com que escrevo a frase que se segue: Vamos inaugurar o Pavilhão João Rocha!

Todos sonhámos? Sim, sem dúvida.
A obra vai nascer? Claro. Aliás, já nasceu.
Todos quisemos? Bem, se calhar uns quiseram mais do que outros.
A 4 de Janeiro de 2004, Deo marcou aquele que seria o último golo na Nave de Alvalade. Passaram 13 anos e foram vários os pavilhões do Sporting que nasceram: em reuniões; em entrevistas; em desenhos; em esboços; enfim, em promessas. E sei lá em que formatos mais.

A verdade é que, durante todo este tempo, jogámos fora de casa, apesar de termos sido sempre bem recebidos.

Por isso, para os responsáveis de todos os pavilhões que nos acolheram, o meu agradecimento.
Mas agora temos a nossa casa das modalidades. Desta vez a sério. Com a Direção a que tenho o privilégio de presidir, aí está ele: o nosso Pavilhão João Rocha.

Estamos orgulhosos. E, claro, muito felizes. Mas sabemos perfeitamente que nunca o teríamos conseguido sem o esforço dos 22.956 Sportinguistas que participaram na Missão Pavilhão, e de tantos outros que, de alguma forma, não deixaram de dar o seu contributo para que este sonho se tivesse tornado realidade.

Porque, como diz o poeta, sem sacrifícios não conseguimos o que tanto desejamos. O meu enorme obrigado a todos.

Este pavilhão é de todos nós. É de todos os Sportinguistas.




Comentários

  1. Permita-me destacar:
    Todos sonhámos? Sim, sem dúvida.
    A obra vai nascer? Claro. Aliás, já nasceu.
    Todos quisemos? Bem, se calhar uns quiseram mais do que outros.,
    e
    "...para os responsáveis de todos os pavilhões que nos acolheram, o meu agradecimento."
    e, ainda,
    "Estamos orgulhosos... Mas sabemos perfeitamente que nunca o teríamos conseguido sem o esforço dos 22.956 Sportinguistas que participaram na Missão Pavilhão"

    Aí está ele: o nosso Pavilhão João Rocha.


    ResponderEliminar

Enviar um comentário