Cabeça de Pedro Guerra prestes a rolar



Estamos a assistir ao terceiro grande escandalo que envolve o benfica em menos de três anos. O terceiro e, provavelmente, o mais grave de todos. Contudo o comportamento dos adeptos é o mesmo de sempre. Dividem-se em dois grupos: os que negam e os que dizem "mas isso todos fazem, nós somos é mais profissionais".

Também é bom que tudo isto tenha acontecido em vésperas da Assembleia Geral da Liga para que os clubes percebam bem ao lado de quem querem votar. Se ao lado de quem luta pela transparência e igualdade no futebol português ou ao lado de quem "ordena padres para todas as missas".

Aos poucos a máscara da estrutura vai caindo e as pessoas vão vendo que aquelas coisas malucas que os teóricos da conspiração diziam podem muito bem ser verdade e talvez seja isso que mais os afecta. Começarem a abrir os olhos a uma realidade que julgavam ser exclusivo do Porto dos anos 90.

Mas, mais interessante que a máscara que cai a alguém que eu sempre achei não ser sério é ver, ainda mais, exposto todo o seu "payroll".

O alegado esquema de corrupção, que envolve oito árbitros, foi denunciado na terça-feira à noite e, desde então, tem sido falado - e bem - em todo o lado menos nas capas da bola, uma espécie de pseudo-jornal pseudo-oficial do benfica. Todos achámos que era só por solidariedade mas, ontem à noite, o sub-director do dito jornal estava... a comentar na BTV. Fernando Guerra, que a 1 de Março de 2016 escrevia "Luis Filipe Vieira é um 'presidente de tribuna', defensor de projectos e de causas. Bruno de Carvalho é um 'presidente de banco', cercado por 'inimigos' que só ele consegue ver". Pelos vistos, os "inimigos" existem mesmo mas existem muito mais "amigos dos inimigos" que os ajudam a levar a empreitada em frente. Honestamente gostava de saber qual é o papel dos Fernandos Guerras desta vida na actual estrutura do "Clero".


O mesmo se aplica aos que vão dando a notícia como se de nada se especial se tratasse. Vão tratando o tal de Adão Mendes como se fosse um ex-árbitro que passou ao lado de uma qualquer carreira quando, na verdade, o site da APAF coloca-o como Vice-Presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Braga. Espero que alguém faça chegar esta informação ao Paulo Futre, ao Rui Pedro Bráz e ao José Manuel Freitas que, na passada Quarta-feira, andaram a fazer-se passar por passarinhos a fazer de conta que não sabiam quem era Adão Mendes. E, talvez, também comece a fazer mais sentido como é que um tipo destes tinha capacidade para "ordenar os padres". Pelos vistos ainda se continua a "cantar e a rezar bem". Devo aproveitar este parágrafo para aplaudir José Marinho que, desde terça à noite, tem cantado e rezado que é uma maravilha. Primeiro era uma estratégia do Porto e Sporting, depois que se investigasse passando pela necessidade que o benfica tinha de mais "pedros guerras e josés marinhos". Uma delícia! Um verdadeiro campeão do flic-flac à rectaguarda.


O caso está tão mal parado que aparentemente, ontem à noite, o Jaime Antunes andou a dizer que o Pedro Guerra não é funcionário do benfica mas sim de uma empresa do benfica e António Simões pediu o afastamento de Pedro Guerra do benfica. Tudo isto na BTV... onde Pedro Guerra é, ou era, director de conteúdos. Não terá gerido muito bem este, pelos vistos. O positivo disto é que se Pedro Guerra for efectivamente saneado do benfica, poderá voltar a fazer notícias sobre roubos de camiões em vez de, alegadamente, andar a trocar emails sobre ordenação de padres e primeiros-ministros.


Comentários

  1. A não perder o próximo programa de 2ª e por a box a gravar. Vamos ver como Serrão e Pina vão reagir. Ou será que PG vão meter férias à última hora?

    ResponderEliminar
  2. Calma amigos, o "Primeiro Ministro" falará em breve à Nação, provavelmente domingo que é o dia da "missa".

    ResponderEliminar

Enviar um comentário