Fascismo da Federação tenta calar Nuno Saraiva



Parece certo que o Conselho de Disciplina da PFP está transformado num centro de despotismo. A reacção à crítica tem sido a abertura de processos a quem a ousa proferir, mas só se não for do benfica.

Desta vez foi Nuno Saraiva, o "feliz contemplado" com a perseguição protofascista por dizer o seguinte nos eu facebook:
"(...) a cedência a interesses clubísticos em detrimento da obrigatória imparcialidade, permite que, daqui para a frente, quem se sinta lesado pela justiça desportiva meta uma `cunha` ao Dr. Fernando Gomes que, como se viu, ele resolve. Já sobre o Professor Meirim também ficamos esclarecidos: manda pouco ou quase nada"
Sabem o que há realmente de errado nesta frase? É ser verdadeira! É o Meirim parecer não passar de um moço de recados e o Fernando Gomes ceder a pressões. Aliás, o caso é tão grave que recentemente soube-se que havia leaks do telemóvel de Fernando Gomes, soube-se um dos destinatários com os conteúdos das SMS e houve ZERO acção sobre isso.

Mas, em vez de aceitar a critica, o CD preferiu silenciar Nuno Saraiva durante seis meses e quinze dias. Suspendendo-lhe o direito de exercer a sua opinião de forma livre. Mais, retirando-lhe parte da capacidade para realizar o seu trabalho no dia a dia.

Está instalada uma ditadura na Federação. Uma ditadura que cede à pressão do acicatamento dos virtuais seis milhões e aponta as armas para quem sempre soube estar no futebol.

Mas podem calar o Nuno Saraiva, o André Geraldes ou até o Bruno de Carvalho. Mas não podem calar três milhões e meio de Sportinguistas. Não podem calar um ideal!


Comentários

  1. Pode-se criticar os deputados o governo e o presidente da republica, mas as galinhas da federação nem pensar.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário