O empréstimo como parte da formação




Já não suporto as conversas à volta do assunto "Francisco Geraldes" e creio que as pessoas ainda não perceberam o quanto prejudicam a carreira do jogador ao estarem sempre a tentar criar uma guerra entre o mesmo e o treinador.

Ninguém tem dúvidas que há valores na formação que têm qualidade suficiente para jogar na equipa principal mas também deve haver um equilíbrio entre a formação e as contratações pois a experiência internacional é importante.

Mas, mais importante que andar a opinar sobre o tema é entender a realidade. Temos os exemplos recentes de João Mário e Rúben Semedo mas há mais, muitos mais.
Ninguém tem dúvidas que Roberto Severo foi um dos melhores capitães do Sporting Clube de Portugal. Ninguém tem dúvidas da sua qualidade e da importância que teve. Beto, antes de se afirmar esteve emprestado ao União de Lamas (1994/95) e ao Campomaiorense (1995/96). Ainda bem que na altura não havia redes sociais, se não imagino o inferno que teria sido.

E todos aqueles que aplaudem William Carvalho agora e se esquecem que esteve no Fátima, Cercle Brugge antes de se afirmar definitivamente no meio-campo do Sporting? Já pararam para pensar na importância que estes empréstimos tiveram na carreira do jogador? O próprio disse que foi a melhor coisa que lhe aconteceu!

"Doeu-me ser emprestado. Fiquei triste. Mas foi a melhor coisa que me aconteceu. Se tivesse ficado naquele ano [2011/12] não teria jogado. Assim, ganhei maturidade, joguei e fui crescendo. Fiquei seis meses no Fátima e depois fui para a Bélgica, para o Cercle Brugge. Ser emprestado fez-me crescer como homem.", William Carvalho em entrevista a Rui Unas

Mesmo o actual capitão, Adrien Silva, andou pelo Maccabi Haiva e Académica. Hoje é capitão do Sporting Clube de Portugal e titular indiscutível no Campeão Europeu, Portugal.

Dizem que não se aposta na formação mas esquecem-se que Doumbia é suplente de Podence e que Gelson foi titular quando havia Markovic e Campbell.

Posto isto, qual é o drama de se emprestar Francisco Geraldes? Não é melhor ele poder ser titular e voltar mais maduro e experiente do que ser suplente numa fase em que o que mais precisa é de minutos nas pernas?

É claro que é mais fácil ser-se um idiota atrás do teclado e passar a vida a criticar-se as decisões da direcção e do treinador em vez de entender que os jogadores precisam de crescer. Mas que fazer? Insistimos em ser o nosso maior inimigo ao discutir assuntos internos como se fossem os mais graves do mundo e vamos soltando uns "loles" aos assuntos sérios como o tráfico de influências e corrupção.Uns bananas, no fundo. Abdicámos de ser predadores de rivais para passarmos a ser parasitas do nosso próprio ser. E enquanto assim formos, merecemos mesmo não ganhar nada. Anseio pelo momento em que nos cresçam testículos.


Comentários

  1. Nada contra o emprestimo de jogador A ou B. O que sou contra é com a chegada de jogadores de qualidade duvidosa que custaram uma pipa de massa e que ganham ou triplo dos jogadores da nossa formacao e que nao Sao muito melhores.
    Deste exemplos de jogadores que agora sao importantes e que passaram por emprestimos mas tambem houve que nunca foram emprestados e foram titularissimos: Viana, Quaresma, Patricio, Moutinho...
    O que é que eles tiveram a mais que os outros: uma oportunidade.
    Veremos se em Janeiro nao o teremos que chamar de volta. Ate la, desejo-lo a maior sorte no Rio Ave

    ResponderEliminar

Enviar um comentário