Vitória e boas indicações contra uma Fiorentina que só jogou o que o Sporting deixou



O Sporting recebeu e venceu a Fiorentina num jogo onde o resultado era claramente o menos importante. A homenagem ao Leão Marco Ficini foi transversal quer pré-jogo quer ao jogo em si. E, para mim, este enorme fair play, é a grande vitória da tarde/noite.

O onze inicial deve andar muito perto daquilo que Jorge Jesus tem em mente para o seu "Plano A". É claro que a dupla de centrais foi uma invenção (fruto de necessidade) mas William não sabe jogar mal. E isso é que me revolta quando o vejo a fazer um jogo menos conseguido. É saber que isso será sempre uma questão de motivação em vez de uma questão técnica. Ainda assim, pelo seu talento, renovava com ele facilmente e dava-lhe o mais alto ordenado do plantel. É que é um dos jogadores que só perceberemos realmente a falta que faz quando sair.

Mas se William esteve muito bem no centro da defesa, Battaglia fez com que ninguém sentisse saudades do internacional português no meio-campo. Jogo extremamente concentrado com inúmeras recuperações de bola e várias arrancadas a romper pelo corredor central. Com Bruno Fernandes ao seu lado podemos estar descansados quanto à capacidade destrutiva e construtiva do meio-campo. E isto é meio-caminho andando para fazermos uma boa época. Temos titulares e alternativas para todas as posições (parece que vem um defesa direito a caminho). Já Tobias Figueiredo fez uma exibição mais discreta mas, ainda assim, é dele a assistência para o golo.

Battaglia jogou tanto que foi considerado o homem do jogo pelos adeptos do Sporting mas, para mim, a exibição que mais gostei foi de Piccini. O italiano defendeu bem e envolveu-se de forma extremamente positiva nas jogadas de ataque, combinando tanto com Gelson Martins como com Battaglia e Bruno Fernandes. Com tempo e rotinas será um bom jogador mas em quem podemos confiar desde já.

Este esquema de jogo não é o que mais beneficia Bas Dost uma vez que Podence actua como um vagabundo no ataque ficando o número 28 mais desacompanhado nos duelos físicos contra os centrais adversários. Mas isto não é um ponto negativo para o jogo do Sporting em si. É apenas uma nuance táctica que faz com que o Sporting seja capaz de ter mais posse de bola qualquer que seja o corredor onde esteja a jogar.

Por falar em Bas Dost, voltou a fazer o gosto ao pé num fantástico remate à meia volta que o fiscal de linha tentou anular mas que o vídeo-árbitro não deixou. Também temos que ir perdendo o hábito de dizer que fomos beneficiados pelo vídeo-árbitro porque o que aconteceu não foi nenhum tipo de benefício. Foi apenas a reposição da verdade desportiva. Logo, o vídeo-árbitro impediu que, neste caso, o Sporting fosse lesado.

Em suma, um jogo muito positivo do Sporting e onde podemos ficar descansados quanto à dupla de centrais que irá jogar na primeira jornada.


Comentários

  1. A propósito de video árbitro, acho que deve ser motivo de orgulho ser beneficiado pela verdade desportiva. Outros haverá que irão ser prejudicados pela mesma, e isso só os irá envergonhar ainda mais pelas vitórias passadas.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário