Soares Dias não precisou de expulsar ninguém para o Vitória jogar com 9



Que melhor começo se podia pedir para A Grande Mentira? O Vitória de Guimarães entrou em campo com Miguel Silva pronto a fazer o que fosse preciso para que o benfica conquistasse a Supertaça. Ou, pelo menos, assim pareceu.

Nas suas primeiras três intervenções permitiu que o benfica marcasse dois golos. Também Paolo Hurtado pareceu ter dificuldades de locomoção durante a partida. Perdeu um sem número de bolas no meio campo e ainda falhou dois golos escandalosos de baliza aberta.

Artur Soares Dias aproveitou a oportunidade para se mostrar em grande forma ao perdoar a expulsão de Jardel por uma clara agressão a Rafael Martins.

Para não destoar, fora das quatro linhas manteve-se a falta de nível. O jornalista Pedro Neves de Sousa foi agredido e o tal funcionário do benfica que registou a marca "No Name" ajudou à colocação de tarjas da claque expondo, mais uma vez, a estreita relação que existe entre o benfica e os ilegais. E, obviamente, tudo isto ficará longe das capas dos jornais.

Por muito que se fale em vídeo-árbitro, se exponham os vouchers, os emails e os padres, nada irá mudar até que os clubes deixem de comportar como uns meros palhaços neste circo, assumam que algo está podre neste futebol e ajam como interessados em que isto mude.

E isto foi apenas o hors d'oeuvre. A Grande Mentira segue amanhã na Vila das Aves.


Comentários