Bronca nos Estatutos do Sporting



O Sporting é um clube com mais de cem anos e, como tal, devia preocupar-se com a definição clara dos seus estatutos de forma proteger os seus interesses.

Os actuais Estatutos não defendem a identidade do Sporting Clube de Portugal, a sua grandeza nem os seus títulos e devem ser alterados o quanto antes.

Os Estatutos começam por falhar na ausência da nossa missão e do nosso lema. A eterna frase de José de Alvalade, que devia ser considerada como a nossa missão, "Queremos que o Sporting seja um grande Clube, tão grande como os maiores da Europa" não ecoa de maneira nenhuma nos estatutos do Clube. De igual modo, também não há nenhuma referência ao lema "Esforço, Dedicação, Devoção e Glória" nos Estatutos do Sporting Clube de Portugal e isso acaba por ter uma consequência grave que pode ser lida no artigo quinto.

Artigo 5° (Fins)
O SPORTING CLUBE DE PORTUGAL tem como fins a educação física, o fomento e a prática do desporto, tanto na vertente da recreação como na de rendimento, as actividades culturais e quanto, nesse âmbito, possa concorrer para o engrandecimento do desporto e do País.

Portanto, a "finalidade" do Sporting Clube de Portugal é "a prática da educação física e concorrer para o engrandecimento do desporto e do país". Não há qualquer referência à conquista de títulos, ao espírito ambicioso do nosso fundador e, muito menos, ao desejo de "Glória" que vive no nosso lema. O Sporting Clube de Portugal, aos olhos de quem define os seus estatutos, não passa de um clube recreativo. E isso está errado! Não nos devemos contentar com "Esforço, Dedicação, Devoção e uma sandes de courato". Devemos exigir "Esforço, Dedicação, Devoção e GLÓRIA"!

A questão dos vinte e dois títulos também podia ser resolvida rapidamente com a inclusão do palmarés na camisola dos jogos a disputar. Algo tão simples como:

Taça das Taças: 1
Campeonatos Nacionais: 22
Taças de Portugal: 16
Supertaças: 8
Isto, escrito por baixo do escudo ou na manga. O mesmo para cada modalidade (e.g. Andebol, Futsal, Hóquei, etc). Algo que mostre a quem está a envergar a camisola do Sporting que está a defender uma história centenária e não apenas um clube às riscas com um patrocinador relacionado com telecomunicações. Algo que envergonhe quem, no final da época, não for capaz de somar, pelo menos, mais um número aos que carrega ao peito. Algo que mostre a quem enfrenta o Sporting que não está a enfrentar onze marrecos de verde mas sim todo um legado Verde e Branco, apoiado por milhões de adeptos ao longo destes mais de cento e dez anos.

Por falar em equipamento...

Artigo 10° (Equipamento)
O equipamento a envergar pelos atletas deve adoptar, em princípio, as cores tradicionais do Clube.
O que raio quer dizer "em princípio"? Então o Sporting pode equipar de vermelho? "Em princípio não, mas...". É este o tipo de desleixo que nos tem prejudicado ao longo dos anos. Quem não se preocupa com as pequenas coisas não é capaz de se preocupar com as grandes. E se não somos capazes de, em Assembleia Geral, definir Estatutos que defendam a História, a grandiosidade e os interesses do Sporting Clube de Portugal, não vale a pena continuar nisto para brincar aos clubes O Sporting não nasceu para ser o Clube Recreativo do Campo Grande. Nasceu para ser grande, tão grande como os maiores da Europa! Assim queiram e saibam os Sportinguistas...





Comentários

  1. A questão das cores tem a ver com os alternativos. Já tivemos alternativo roxo ou amarelo por exemplo, não são cores do clube.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas nos estatutos não há referência ao equipamento principal e secundário. Se um maluco qualquer amanhã decidir meter o equipamento às bolinhas rosa, não há nada que o impeça.

      Eliminar
    2. Partes portanto do "princípio" de que é elegível no SCP um maluco que se lembre de equipar o Sporting às bolinhas rosa.... ok.

      Eliminar
  2. A ideia do palmarés está muito boa! Optimo post!

    ResponderEliminar
  3. Concordo!
    Quanto ao maluco que possa um dia chegar e decida optar por um equipamento "às bolinhas rosa", não esteve longe, eles é que não se lembraram disso. Felizmente, pelo menos por agora, esse tempo passou.
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se elegermos (admito usar o termo "voltarmos" a eleger) um maluco desses, mereceremos o equipamento às bolas.
      Quem quer "legislar" tudo não deixa espaço para nada. Ou por outra: acaba a deixar buracos por onde a malandragem pode passar "legalmente", "porque não está legislado", porque ninguém disse q não se pode!...
      Não vivemos num jardim escola.

      Eliminar
  4. Grande ideia de incluir o palmarés nos equipamentos.
    Quanto aos Estatutos, são antigos e podem ser alterados.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário