Bruno de Carvalho denuncia ataque cobarde de Paulo Pereira Cristóvão



"Em face de ter sido informado que amanhã e quinta-feira vão sair notícias que, pelo seu impacto, desviam as atenções dos problemas gravíssimos que atingem o futebol português e que não envolvem o Sporting CP ou o seu Presidente, vejo-me lamentavelmente obrigado a vir a terreiro antecipar este esclarecimento.
Numa altura em que o Sporting Clube de Portugal apresenta grande estabilidade financeira e com resultados de que todos podem orgulhar-se, em que no plano desportivo está sólido e coeso e a lutar por todos os objectivos a que se propôs, em que o seu Presidente por via da boa reputação de que goza e pelo bom exemplo que representa é convidado a participar na mais importante feira de tecnologia e empreendedorismo do mundo, é deplorável que o ex-sócio Paulo Pereira Cristóvão venha tentar desestabilizar o nosso trabalho e o Clube com uma queixa ao MP que está, seguramente, no top 3 das mais estúpidas que tenho visto ultimamente.
Essa queixa foi-me dada a conhecer hoje pela Revista Sábado.
Vamos então analisar por partes a dita queixa / calúnias:
- Ao contrário do que é dito, à excepção da Fundação Aragão Pinto que, como é sabido, está em processo de encerramento, não tenho qualquer empresa, ou parte de empresa ou participação em empresa em nenhuma parte do mundo;
- Ao meu serviço, da mesma forma que a restante administração da SAD, tenho um carro atribuído para uso profissional. Infelizmente, por indicações da Direção de Segurança do Sporting CP, sou aconselhado, eu e a minha família, a utilizar para tudo viaturas institucionais. E aos mais esquecidos lembro que, do meu casamento, saí num carro clássico que fui eu que paguei;
- A Administração a que me honro de presidir nunca prolongou qualquer contrato com a empresa Casa do Marquês de José Eduardo.O que fizémos, como pessoas de bem, foi honrar o que existia e já vinha de trás. Sucede que esse contrato está a terminar, e o que decidimos fazer, há vários meses, foi denunciar o contrato não permitindo a renovação automática prevista, mas sim, algo que devia ser enaltecido pela transparência que significa, abrir um concurso para a prestação do serviço de catering. Diz também que o José Eduardo, insinuando assim favorecimento, expandiu o seu negócio para a Academia. Ora, a menos que tenha comprado a Eurest, o que desconheço, não é verdade. Mais uma mentira. E ainda fala sobre sobre o meu casamento, sendo que é verdade que foi a Casa do Marquês que serviu o Copo de Água, mas fui eu que paguei tudo do meu bolso;
- Também se pretende acusar-me de levar elementos da minha família em viagens pagas pelo Clube. Que fique muito claro: Nunca o Sporting Clube de Portugal teve qualquer custo com deslocações a Núcleos, Estágios ou Academias. Nem sequer comigo, que sou Presidente. A práctica é simples: quem convida ou organiza as viagens é quem paga, sem nunca onerar o Clube ou a SAD;
- Ainda levanta suspeitas sobre a transferência de Rúben Semedo para "pasme-se" o Newcastle.... Então é facílimo de desmascarar, uma vez que os documentos são públicos. Houve de facto uma reunião em que estiveram presentes o agente João Pinheiro e um agente inglês seu parceiro. Disseram poder trazer uma proposta do Newcastle de 14 milhões e, na sequência da reunião, elaborou-se um documento em que se relatava a mesma confirmando a disponibilidade do Sporting CP para fazer a venda por aquele valor. Mas a verdade é que a proposta não passou das intenções e nunca chegou. E só por ignorância ou má fé é que se ignora que o atleta se transferiu por 14 milhões para o Villareal de Espanha, sem qualquer interferência do agente João Pinheiro;
- Por fim ainda se tenta atacar com o negócio da compra do Tanaka. Em primeiro lugar, nunca o agente João Pinheiro ou a sua empresa tiveram qualquer envolvimento na transferência do jogador para o Sporting Clube de Portugal. Os envolvidos foram a empresa Bisc do agente espanhol John Baez que detinha os direitos económicos do atleta, e uma figura estranha de nome Paulo Emanuel Mendes (que mais tarde vim a saber ter ligações a Paulo Pereira Cristóvão) que em boa hora acabou por não ter qualquer papel no negócio, e o Kashiwa Reysol, clube japonês em que Tanaka estava inscrito e por isso detinha os direitos federativos. O agente fez-nos saber que o preço era 750 mil euros. É bom saber que estávamos numa época em que o TPO ainda era permitido. Assim sendo, o negócio fez-se pelos 750 mil euros, sendo que 500 mil foram para a Bisc pelos direitos económicos e 250 mil para o Reysol para pagar os direitos federativos. Ou seja, não houve nenhuma alteração como se pretende fazer crer na queixa;
Perguntam-se e com razão porque estou a escrever isto tudo. É simples: como disse no início, é deplorável que se tente lançar lama para cima de um Clube como pretende o ex-sócio Paulo Pereira Cristóvão, fazendo esta queixa / calúnias chegar aos jornais.
Quem quiser saber a verdade sobre tudo isto, ela está aqui. Quem quiser dar guarida ao que diz o dito sujeito é lá consigo.
O departamento jurídico da SAD dará seguimento a mais uma queixa contra este indivíduo por mais estas calúnias que decidiu produzir.", Bruno de Carvalho no seu facebook.


Comentários

  1. Força Presidente Bruno de Carvalho,é levar essa corja toda a Tribunal por denúncias caluniosas.SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este lacrau Paulo Pereira Cristóvão ja prejudicou demais o futebol portugues deve ser ostracisado. Depois desta explicacao nao voltes a dar-lhe atencao BdC. Estou 100% contigo. Es honesto , devotado como nenhum e estas a aprender c os erros de comunicacao q ja vais sabendo corrigir. Assume a postura presidencial que e a tua posicao legitima. Ignora os caes q ladram.

      Eliminar

Enviar um comentário