Intoxicação




Bruno é um ditador, Jorge Jesus é um comissionista, André Geraldes não tem mérito, Bruno César é gordo, Alan Ruiz é lento, Coates é sarrafeiro, Piccini é um cepo, Jonathan não vale nada, Mathieu está preso por arames, William está com a cabeça na transferência, Bas Dost está em crise de golos, Doumbia está velho, Gelson não dá mais que isto, Battaglia era bom era no Chaves, Mattheus Oliveira foi para encher os cofres da Traffic, Iuri Medeiros não prova nada, Acuña não acrescenta nada...

Não jogamos nada, a táctica não funciona, os jogadores estão de rastos, usamos sempre os mesmos, Jorge Jesus só sabe inventar, Jorge Jesus nunca muda nada, Bryan devia estar no plantel, Geraldes não devia ter sido emprestado, Podence tem que jogar na ala, Podence tem que jogar no meio...

Intoxicação, todos os dias a toda a hora. Intoxicação para nos meter uns contra os outros. Talvez ainda nem todos tenham percebido que é momento de estarmos mais unidos do que nunca. E enquanto escrevo, à minha mente vem uma adaptação da imortal obra de José Mário Branco:

A contas com o bem que tu me fazes
A contas com o mal por que passei
Com tantas guerras que travei
Já não sei fazer as pazes 
São flores aos milhões entre ruínas
Meu peito feito campo de batalha
Cada alvorada que me ensinas
Oiro em pó que o vento espalha 
Cá dentro intoxicação, intoxicação
É só intoxicação, intoxicação
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda
Agora imaginem se tivessemos sido apanhados a traficar droga no nosso estádio ou num esquema de corrupção que envolvia árbitros e delegados... Mas é a nossa cruz. Inquietação causada pela intoxicação.





Comentários

Enviar um comentário