O clube que aglomera em si tudo o que há de errado no desporto



A indiferença que sentimos ao sermos informados que o benfica poderá ter usado um vídeo editado para manipular a opinião pública é o maior sintoma da podridão que se tem vindo a instalar no futebol português. Já nada nos parece estranho. Banalizou-se o jogo sujo, a corrupção, a violência no desporto e a falta de vergonha.

Em menos de um ano vimos:

  • Sportinguistas serem mortos cobardemente por membros de claques ilegais afectos ao benfica;
  • Emails trocados entre elementos da direcção do benfica e várias entidades que demonstram todo um alegado esquema de corrupção, tráfico de influências e até mesmo prostituição;
  • Tráfico de droga nas instalações;
  • Oito árbitros abençoados por Adão Mendes para dar as missas;
  • Claques ilegais a gerar confusão e violência a cada deslocação;
  • O IPDJ completamente vergado aos desígnios do benfica;
  • O telemóvel do Presidente da Federação Portuguesa de Futebol sob escuta;
  • Informação confidencial da Federação a ser enviada para dirigentes do benfica;
  • Mentiras criadas sobre árbitros e dirigentes de Associações de Futebol que geraram processos em tribunais;
  • Editar vídeos para manipular a realidade.

Mas nada disto nos choca. E porquê? Porque estamos num estado comatoso, letárgico, em que vamos vendo, cantando e rindo à medida que tudo à nossa volta desmorona. À medida que matam, não só as nossas aspirações, como também os que vestem as nossas cores. Porque perdemos o nervo para combater e denunciar o estado criminoso a que chegou o futebol português.

Banalizámos o mal e agora ele vive à vontade no meio de nós. A rir-se da nossa cara e a ganhar títulos porque nós somos demasiado bananas para o combater.

"First they came for the Socialists, and I did not speak out - Because I was not a Socialist.
Then they came for the Trade Unionists, and I did not speak out - Because I was not a Trade Unionist.
Then they came for the Jews, and I did not speak out - Because I was not a Jew.
Then they came for me - and there was no one left to speak for me."

Os Sportinguistas são chamados a ir à luta. Podem escolher defender o seu clube contra tudo e contra todos ou podem continuar a ser uns bananas preguiçosos que se limitam a apontar o dedo e a dizer "pois é, pois é...".


Comentários

Enviar um comentário