Um ódio de estimação chamado Jorge Jesus





Desde que Jorge Jesus chegou ao Sporting que existe uma onda de desconfiança no que toca ao seu trabalho. Qualquer escolha que faça, boa ou má, é escrutinada até ao mais ínfimo detalhe sem qualquer tentativa de compreensão do motivo para a mesma.
Não vale a pena meter disfarçar, o facto de ter vindo de um benfica que tinha sido bicampeão de maneira mais que duvidosa não ajudou à causa mas teve o condão de meter o Sporting a jogar um futebol encantador e quebrou o recorde de pontos logo na sua primeira época.

No final de 2015/16 tinha criado em Alvalade o meio-campo que deu a Portugal um Europeu e valorizou Slimani (e este nem jogou no Euro, certo?) e João Mário de tal forma que entraram directamente no top 5 das vendas mais caras de sempre do Sporting Clube de Portugal. Entre a época passada e hoje enfrentámos Real Madrid, Borussia de Dortmund, Barcelona e Juventus e em todos esses jogos não houve uma vez em que o nome do nosso centenário clube fosse envergonhado.

Mas nada disto é novidade para ninguém. A verdadeira novidade é estarmos a assistir ao reaparecimento de um ódio quase visceral para com Jorge Jesus por parte dos adeptos. Sente-se no ar um desejo de que falhe para que as pessoas possam dizer “eu bem que avisei”. E isto não só é incompreensível como também é contra-producente para com os objectivos do Sporting Clube de Portugal.

Este “ódio de estimação” em que Jorge Jesus se está a transformar é doentio. Não há nenhum motivo para os adeptos do Sporting estarem contra o treinador. Na nossa melhor época de sempre tínhamos 29 pontos à décima primeira jornada, esta época temos 27 pontos. Apenas menos dois pontos e já agimos como se estivessemos em crise. Num grupo da Liga dos Campeões que inclui Juventus e Barcelona fizemos boas exibições e já garantimos quatro pontos.

Ora, claro que há mérito por parte dos jogadores e da direcção por dar condições ao treinador para que ele possa trabalhar mas também há muito mérito de Jorge Jesus por ter conseguido trazer o Sporting de volta às grandes noites europeias e ao bom futebol que encanta estádios de norte a sul do país.

Os Sportinguistas têm que fazer o desmame de treinadores como Paulo Bento e Paulo Sérgio que, apesar de um discurso aguerrido, não servem para mais do que vitórias morais. Claro que também há o estigma associado ao ordenado de Jorge Jesus mas já dizia Jardel “caros são os que não produzem” e basta pensar no quanto valorizou Slimani ou no quanto ganhámos ao nos apurar para a UCL para perceber que Jorge Jesus produz e muito! É que o Sporting não precisa de uma “opção mais barata para lutar pelo segundo lugar” precisa de um treinador competente e capaz para estar SEMPRE na luta pelo primeiro e esse treinador chama-se Jorge Jesus.

Quem ganha então com este ódio a Jorge Jesus? Quem ganha com o silêncio que se sentiu ontem em Alvalade? Quem ganha com a falta de apoio que se tem vindo a sentir?

Podem dar várias respostas mas todas terão algo em comum: Não é o Sporting, de certeza.

Ainda não chegámos a meio de Novembro, não acham que já é tempo de nos unirmos todos em volta da equipa, direcção e treinador e darmos também todas as condições necessárias aos nossos jogadores para serem campeões envergando as cores do Sporting Clube de Portugal?




Comentários

  1. Tudo certo, não fosse JJ cair sempre nos mesmos erros e não mostrar sinais de que vá melhorar.

    Quanto aos pontos agora e os pontos da primeira época... É fazer o mesmo exercício em relação aos adversários.

    ResponderEliminar
  2. Desculpa discordar, mas o Jesus não vale um caralho sem a pouca vergonha de sistema que o carnide montou para ele naqueles anos. É uma pura criação da corrupção lampiã.
    Tacticamente é bom, mas até podem passar mais 10 anos e nós vamos estar a discutir aqui os mesmos problemas que ele tem como treinador.

    Não é por acaso que aquele primeiro ano foi bom porque o plantel nao foi feito por ele, mas sim montado e trabalhado a partir do Leonardo Jardim. Não consegue unir um plantel, nem dar confiança a um jogador que esteja por baixo na hierarquia independentemente da situação. Mete sempre os mesmos 14/15 e faz 11's ridículos sempre que quer pedir reforços novos (e são em média 15 por ano). E não me venham com merdas o Mané e o Iuri tinham lugar a época passada a cagar. E este ano o Xico e o Palhinha têm de entrar para dar descanso aos titulares quando for preciso. É despachar rapidamente o Bebeto, o Petrovic e o Alan. O Jesus não pode ter poder nas contratações, se não só sai bosta

    Quando no domingo estava a sair de Alvalade até ouvi opiniões de pessoas que já querem o presidente fora dali porque ele não consegue mandar aquela merda embora.

    Está na hora, os jogos de quase não perder com tubarões europeus não podem servir para defender o já gasto.

    ResponderEliminar
  3. É só sabões. Vão lá voces e sejam campeões. O homem não sabe falar direito, fala mal espanhol, nem uma palavra de inglês, não põe os jogadores da vossa simpatia, e como tal não vale um caralho. Bom é aquele e o outro. Eu também sou muito bom a adivinhar os nrs do euromilhões depois do sorteio. Poucos me ganham. Agora se puderem prestar atenção e verificar quem nem com o Barcelona e CR7 e treinado pelo Guardiola, seriamos campeões. a máfia é muito grande. Vai desde o poder politico até ao fim do Mundo.

    ResponderEliminar
  4. Podia-mos ter o melhor plantel e o melhor treinador do mundo. Com a corrupção que vai na liga, fpf e na arbitragem nunca seremos campeões

    ResponderEliminar

Enviar um comentário