Vitor Oliveira destrói Artur Soares Dias por não expulsar Alex Telles



O Portimonense deixou uma excelente imagem, esta noite, no Estádio do Dragão e podia ter saído de lá com o passaporte para a próxima eliminatória da Taça de Portugal mas não saiu e tudo graças a uma escolha de Artur Soares Dias.

Vitor Oliveira, treinador do Portimonense, não foi na conversa de que o Porto é agora o rosto da justiça desportiva e meteu a boca no trombone: "Ainda na primeira parte, o Alex Telles teve uma entrada para cartão vermelho".

O estado do futebol português é lamentável. Os jogos não são ganhos pelo mérito dos jogadores e dos treinadores mas sim por um conjunto de factores externos que condicionam profundamente a verdade desportiva.

Espero que Francisco J. Marques faça rapidamente uma adenda ao seu livro "O Polvo Encarnado" e o passe a chamar "O Polvo tanto é Encarnado como Dourado". É que já deu para perceber como vai ser o resto do campeonato...

A ver se os Sportinguistas abrem os olhos para perceber que haverá sempre alguém na cadeira do poder e temos é que começar a ser nós!


Comentários

  1. O estado do futebol português tb passa por ti..fazes eco de um queixa do vitor oliveura a um lance duro que do Alex fez, mas não mencionas como por exemplo o Sá do portimonense acaba o jogo....

    Vitor oliveira a quem agora por falar contra o fcp já deve ser ouvido, quando se calou que nem um rato depois de ser sodomizado na luz, aí seria um alinhado com o benfiqistao...

    Fazer da sorte q o porto teve em ganhar ao portimonense um caso de benefício do Soares dias ao fcp, é gastar balas sem pólvora e não contribui muito para a luta que tens....


    ResponderEliminar

  2. Também já é "sorte" a mais para ninguém desconfiar...

    Provavelmente não é de agora, mas a suposta denúncia do Merdica é a essência de como nasceu o 'apito dourado' a norte ... a esperteza de um criminoso a querer mais igualdade de tratamento, que como NÃO TINHA comando nas estruturas de Lisboa (q ele só queria ver a arder), engendrou maneira de controlar pessoalmente os árbitros (e depois muitíssimo mais) , sem ter rédeas de comando de nada oficial.

    Depois das primeiras conquistas Europeias, tal criminoso astuto aproveitou a ocasião para se coroar papa do futebol... e não contente em ser Papa do Futebol, ameaçou querer ser Rei da República Portuguesa a Norte se não lhe dessem o poder total do futebol... do que ele se apressou rapidamente a transportar o máximo que pudesse para norte (ainda hoje a sede da Liga é no Porto) .

    Não houve República Portuguesa a Norte, mas o Campeonato Nacional de futebol da 1a divisão, muito bem se poderia ter chamado o Campeonato Nacional a Norte, pois houve 2 ou 3 anos q do Mondego para cima, as únicas equipas que não conseguiram despromover foi o Sporting e o Merdica (grandes demais para serem facilmente afastados. -> até a porcaria do mendez é do norte, mas começou realmente a ganhor nome dinheiro e prestígio a vender aurelios do Sporting, entre eles Figo e Ronaldo... e a deixar cá porcaria como craques)

    Portanto foi um processo político, a q alta traição poderia ser também um adjectivo político, muito mais que um processo desportivo... e q provou ser um excelente negócio também (o tal criminoso astuto, não demorou a passar do primeiro Presidente de clube adepto, fanático mesmo, mas sem cheta... a um Presidente de clube reservado, depois de ter atacado fortemente tudo e todos durante anos, mas agora milionário... com a suprema curiosidade q *Verdade Desportiva* foi coisa que nunca saiu de tal boca).

    Que possam existir resquícios do tal processo apito dourado a norte não me admirava nada... quando se vai para velho o homem fica saudosista... mas um tal aprendiz de feiticeiro con orelhas dele (NUNCA esquecer isto... q amigos eram! ) tomou as rédeas dos apitos todos a sul, e como todos os absolutistas vive no pavor de perder qualquer tipo de poder...

    Por isso não estranho a suposta denúncia do Merdica... mas q ela não tem substância alguma, por agora é verdade l

    ResponderEliminar

Enviar um comentário