Advogado do Benfica defende descida de divisão



João Correia, advogado do Benfica, em entrevista na SIC, descaiu-se ao admitir que há indícios de tráfico de influências nos emails que circulam na internet. Consequentemente, aos olhos do artigo "55º - Tráfico de Influências" do Regulamento Disciplinar da  FPF - CO 371 de 30-06-2017, o Benfica deve ser automaticamente excluído de todas as competições. E, em princípio, não será precisa mais nenhuma prova uma vez que foi o PRÓPRIO ADVOGADO DO BENFICA a confessar publicamente na televisão.

Artigo 55.º Tráfico de influência - 1. O clube que, por si ou por interposta pessoa, com o seu consentimento ou ratificação, solicitar ou aceitar, para si ou para terceiro, vantagem patrimonial ou não patrimonial, ou a sua promessa, para abusar da sua influência, real ou suposta, junto de qualquer agente desportivo, representante, agente ou funcionário da Federação ou de qualquer sócio ordinário desta, com o fim de obter uma qualquer decisão destinada a alterar ou falsear o resultado ou o desenvolvimento regular de uma competição desportiva, é sancionado com exclusão da competição entre 1 e 3 épocas desportivas e cumulativamente com multa entre 25 UC e 125 UC, se sanção mais grave não lhe couber por força de outra disposição deste Regulamento.
Também o artigo "65º - Exercício e abuso de influência" do Regulamento Disciplinar da Liga defende a descida de divisão.

Artigo 65.º Exercício e abuso de influência - 1. O clube que, direta ou indiretamente, exerça ou abuse da sua influência, real ou suposta, junto de qualquer agente desportivo, representante, agente ou funcionário da Federação ou da Liga com o fim de obter comportamento ou decisão destinados a modificar ou falsear a veracidade e a autenticidade de documentos, procedimentos e deliberações, assim como o resultado ou desenvolvimento regular dos jogos das competições desportivas será punido com a sanção de descida de divisão e, acessoriamente, com a sanção de multa de montante a fixar entre o mínimo de 250 UC e o máximo de 1.000 UC.

Qual é a dúvida então?

A informação é tão gritante que o Record sentiu-se na obrigação de a transmitir e colocou-a online. Infelizmente, por um qualquer motivo ao qual somos alheios, pouco tempo depois teve que alterar o título do artigo de forma a minimizar o impacto das declarações do desbocado advogado.

Justiça seja feita, na capa do Record de hoje vêm as palavras originais.

Agora é esperar que a Liga, a Federação e a APAF sejam mais lestas a ler a edição de hoje do Record do que foi a ler os e-mails que se encontram livremente pela internet.


Comentários