Na Final



Estamos na Final da Taça da Liga e, queira-se ou não, é nossa obrigação fazer tudo o que está ao nosso alcance para a conquistar. É claro que é um troféu que na sua curta história se foi enchendo de polémica mas para um Clube como o Sporting Clube de Portugal é curto estar apenas na terceira final em dez edições de uma competição. Temos que estar preparados para estar sempre nas decisões.

O jogo de ontem foi tudo menos fácil, não estivessem em campo as duas únicas equipas portuguesas invencíveis nas competições domésticas. O Sporting começou melhor e podia ter-se adiantado no marcador se o Ferrari Vermelho (era disto que falavam no tweet, não era?) não se tivesse acobardado e assinalasse a grande penalidade escandalosa que Danilo cometeu sobre Bas Dost.

Não o fez e assim o jogo seguiu à chuva em algo que foi sempre sendo mais táctico do que técnico até ao ponto em que ambas as equipas quebraram e se jogou individualbol. Mas o que é que isso interessa? As vitórias não se merecem, conquistam-se e o Sporting fez mais que o Porto para a conquistar.

No final do jogo ainda deu para dois mini-escândalos. Primeiro foi Francisco J. Marques a dizer que o Nelson Pereira não estava na zona onde devia estar. Eu não sei o que dizem os regulamentos sobre isso mas acredito que o Nelson, como boa pessoa que é, se tenha preocupado com o desaparecimento de Sérgio Conceição antes das grandes penalidades e tenha ido à sua procura para ver se estava tudo bem.

Depois foram as redes sociais de adeptos do Porto que lançaram o boato de que Fábio Coentrão disse a Marega "Vai-te foder preto do caralho", acusando-o de racismo. Ora, para começar acho que Coentrão não disse nada aquilo mas tenho a certeza que o Correio da Manhã já contratou um especialista em leitura labial para nos esclarecer as dúvidas. Mas, o que interessa, é que já há uma justificação para o que aconteceu ontem. É assim o futebol... Pisado com fartura como a perna do Ruben Ribeiro.





Comentários