Bruno de Carvalho: O Garoto e a Europa



Na génese do Sporting Clube de Portugal está a eterna frase "Queremos que o Sporting seja um grande Clube, tão grande como os maiores da Europa". E a grandeza não é medida apenas pelo número de adeptos ou sócios. A Grandeza é medida pelos títulos que se conquistam contra aqueles que são os nossos competidores.

Para se ser tão grande como os maiores da Europa é preciso conquistar títulos Europeus e podemos ver abaixo como é que foram conquistados os 27 Títulos Europeus na nossa centenária história.


Portanto, até à chegada de João Rocha, o Sporting tinha apenas um Título Europeu. A Taça das Taças conquistada com o célebre Cantinho do Morais em 1964. Sob a tutela de João Rocha, foram conquistados doze Títulos Europeus em catorze anos, ritmo que se manteve nas direcções seguintes até José Roquette. Com o dito "Projecto Roquette", o Sporting perdeu quase toda a sua representatividade europeia. Todos os presidentes que partilhavam este ADN [C]Roquettista, (Dias da Cunha, Soares Franco, Bettencourt e Godinho Lopes) para além de serem campeões na destruição do património do Sporting Clube de Portugal, foram uma quase nulidade no que toca às conquistas europeias: dois títulos em dezassete anos.

Chegou então Bruno de Carvalho e, desde 2013, já viu o Sporting conquistar cinco Títulos Europeus em cinco anos de Presidência.

Agora, que somos chamados a pensar o futuro do Clube, é importante analisar este tipo de dados à luz de tudo o que se tem dito sobre Bruno de Carvalho. O Presidente que não só trouxe mais modalidades clubes a um Clube já de si eclético como garantiu condições para que muitas dessas modalidades pudessem lutar e conquistar Títulos Europeus.


Comentários