O Desgaste



Muito se tem falado do "desgaste" desta equipa do Sporting. Acusa-se Jorge Jesus de gerir mal a equipa, contesta-se a qualidade dos reforços e até se vai suspirando por uma ou outra dispensa que parecia relativamente óbvia há três semanas.

Mas o verdadeiro desgaste, apesar de acontecer dentro do campo, não é físico. É bem mais preocupante que isso! É o desgaste provocado por decisões erradas atrás de decisões erradas. Esta jornada é apenas mais um resumo do que tem sido este campeonato nas últimas épocas.

Relembremos o momento da agressão bárbara de Rúben Dias a Fabrício no jogo de ontem. Carlos Xistra nem falta assinala. Resultado: O benfica continua o jogo com onze jogadores em campo quando Rúben Dias devia ter visto vermelho directo. Assim sendo, poupou-se o benfica a um jogo desgastante, com dez, contra uma das equipas mais competentes em contra-ataque no nosso campeonato.





Já hoje vimos Maxi Pereira cometer duas grandes penalidades claras. Uma com o marcador a zeros e outra já com o Porto a vencer mas apenas por um. Nenhuma dessas grandes penalidades foi assinalada. Venceu assim o Porto, sem "grandes dificuldades" num campo também tradicionalmente difícil. Poupou-se também o desgaste do Porto de ter que tentar virar um resultado negativo.

Meia-dúzia de minutos depois de terminar o jogo do Porto, começa o Sporting - Feirense e aos quatro minutos já o Gelson Martins tinha sofrido quatro entradas duras. Três foram sancionadas, uma não. Essa toda foi-se mantendo ao longo do jogo com Gelson, Bruno Fernandes e muitos outros a sofrer uma falta a cada dois minutos. Gelson não se cansou só por si, foi desgastado à cacetada. Pior, o Sporting marca um golo legal e o árbitro anula sem qualquer fundamentação. Minutos depois, grande penalidade a favor do Sporting que não é assinalada.

É este o verdadeiro desgaste que o Sporting sofre e que, ao qual, os nossos rivais são poupados. Recuso-me a chamar a este o novo "campeonato da mentira". Este é o verdadeiro campeonato português. Onde uns são ajudados sempre que possível e outros têm que deixar em campo sangue, suor e lágrimas para conquistar cada vitória. Vemos muitas críticas às decisões de Gelson, às escolhas de Jorge Jesus, à falta de alternativas para Bas Dost mas a verdade é que hoje marcámos três golos legais e sofremos um penalty mas só ganhámos por 2-0.

Mas, mesmo contra tudo e contra todos, ainda estamos na luta. Vai ser preciso muito mais do que um qualquer "Luís Ferreira" para nos fazer parar. Podem desgastar um mas nunca desgastarão três milhões e meio de Leões!











Comentários


  1. Bom comentário, mas existe um problema sério, q não pode ser só explicado com os bois do apito corruptos... tem solução com um alerta aos jogadores para 'mentalização '(CABEÇA MUITO FRIA, quando mais se quer à toa, menos se consegue)... ou com outros jogadores...

    Este jogo deveria ter ficado 6 ou 7 a 1 ou a 2...

    De ressalvar q a equipa não se ressentiu fisicamente, ao contrário de outros jogos (em Sta Maria da Feira), em que acabamos a defender.

    O "SOFRIMENTO ATROZ" é ver gajos a falhar golos cantados à boca da baliza uns atrás dos outros, fora os lances perdidos por má decisão... nem centros nem remate... parecido ao arranque da época... ISTO SIMPLESMENTE NÃO PODE ACONTECER, EQUIPA CAMPEÃ NÃO FALHA GOLOS CANTADOS EM SÉRIE, nem que tenhamos que jogar com mais "Bs", os jogadores têm que perceber isso, se é para mandar para fora então contratem-me a mim!

    Sobre o 'Boi Nojento do Apito', até não há nada a dizer, NÃO ESPERO OUTRA COISA, é sempre assim desde que me lembro (porcos imundos q 'inclinam o campo' e 'roubam à descarada em plena luz do dia'), daí a NECESSIDADE de não falhar golos, imperioso mesmo..

    ResponderEliminar

Enviar um comentário