Uma braçadeira sem capitão, um Capitão sem braçadeira



O jogo de ontem foi sintomático em mais do que um sentido. Desde ver Jorge Jesus sentado no chão do banco de suplentes, mostrando-se sem ideias, ao Rui Patrício negar ir agradecer aos adeptos o apoio.

Vamos começar pelo óbvio: O Sporting tem mais do que obrigação de vencer a Taça de Portugal ao Desportivo das Aves, por muito respeito que o Aves mereça. Se um treinador que custa sete milhões e este grupo de jogadores não vencer a Taça, como estão à espera de ter sucesso no campeonato ou nas competições europeias?

Rui Patrício e William têm trocado entre si a braçadeira de capitão e a verdade é que hoje em dia eu não vejo nenhum dos dois com vontade, querer, garra e compromisso para ser Capitão do Sporting Clube de Portugal. A braçadeira de Capitão está órfã, neste momento.

No final do jogo, Bruno Fernandes chegou-se à frente e defendeu o grupo.

"O Rui Patrício salvou-nos montes de vezes este ano. Um erro, por mais que seja no final da época, não vai manchar a imagem do Rui. Fez grandes coisas na seleção e no Sporting"
Já durante o jogo mostrou ser dos poucos a querer mudar as coisas. A mandar correr, a agitar as águas. Não sei se Bruno Fernandes é o Capitão que o Sporting precisa mas, para já, é muito mais capitão que os actuais.

Quando a Jorge Jesus: três anos seguidos atrás de Rui Vitória... Tem talento, tem conhecimento táctico mas não apresentou até agora resultados que justifiquem o esforço financeiro e o sapo que vamos engolindo. Para continuar? Que ganhe a taça primeiro!

Duvido que os adeptos no Jamor aceitem bem uma eventual derrota na Taça... Pessoas que com sacrifício pessoal fizeram tudo para estar presentes...


Comentários