Uma teia de interesses 



O Sporting Clube de Portugal sempre foi um Clube apetecível. Não apenas pela sua dimensão global, mas também pela sua capacidade de influenciar e pela sua boa reputação e valor.

Não é por acaso que, ao longo dos últimos anos, pudemos assistir a verdadeiras lutas intestinas pelo poder dentro do Clube, em que se digladiavam os mais diversos lóbis e poderes reinantes na sociedade portuguesa. Da maçonaria à Opus Dei, do poder político ao poder económico, entre tantas outras agendas mais ou menos obscuras.

Hoje, aquilo a que assistimos no Sporting CP é, mais uma vez, a um assalto ao poder liderado por uma facção desses interesses. Vamos lá ver se nos entendemos relativamente à afirmação do Presidente demissionário da Mesa da Assembleia Geral quando disse que a destituição da Direcção e do Presidente do Conselho Directivo era “uma máquina em movimento”.

Jaime Marta Soares é um histórico do PSD. Durante anos foi carinhosamente apelidado de “dinossauro” das autarquias laranja, pelos anos infindos em que foi autarca em Vila Nova de Poiares. “Companheiro” e amigo de partido de Artur Torres Pereira, ex-vice-presidente do Clube, que deixou de aparecer sem nunca ter tido a coragem de se demitir, e nunca perdoou ao Presidente Bruno de Carvalho a exigência ética que este lhe impunha. Recentemente, há pouco mais de um mês, saiu da clandestinidade em que estava mergulhado e surgiu a dar uma entrevista onde defendia a demissão de Bruno de Carvalho a quem acusava de ser a causa de o Clube estar doente.

Talvez tenha sido por estes diagnósticos falhados que Torres Pereira nunca exerceu a sua profissão de médico. Ou seja, um clube que apresenta lucros constantes ao longo de todo o mandato, que cresce exponencialmente em número de sócios, que enche o seu estádio como há muito não se via, que constrói um pavilhão e que tem as suas modalidades a conquistar títulos, que devolve aos mais de 3.5 milhões de adeptos o orgulho de ser sportinguista, que faz através da SAD alguns dos melhores negócios da sua história e da história do futebol em Portugal, que consegue uma reestruturação financeira que é apontada como exemplo, não está doente. Está bem de saúde! Tem problemas? Claro que sim, quem não os tem? Mas isso não é doença, é crescimento e vitalidade.

Mas voltemos a Torres Pereira e a Marta Soares. Ambos coabitaram no PSD de Marcelo Rebelo de Sousa, o Presidente da República que se esqueceu que conhece o Presidente Bruno de Carvalho desde pequeno e que andou com ele ao colo. Torres Pereira foi seu secretário-geral em 1996, quando Marcelo chegou à liderança do PSD.

As quatro figuras já referidas estão umbilicalmente ligadas a outro ex-líder do PSD, ex-ministro, e hoje baluarte do comentário político nacional: Luís Marques Mendes.

Quando este assumiu a presidência do PSD, contou com o apoio fiel de Marcelo Rebelo de Sousa, puxou Jaime Marta Soares para os órgãos nacionais do partido – Mesa do Congresso –, e reabilitou Artur Torres Pereira como candidato autárquico. Ou seja, os favores pagam-se no tempo conveniente.

Esta é “a máquina em movimento” de que falava Jaime Marta Soares. E este é, não tenhamos dúvidas, o tempo conveniente para estas pessoas. O tempo conveniente de promover um golpe de estado para derrubar este Presidente e esta Direcção. Sim porque hoje, depois do trabalho hercúleo que foi feito, é fácil e apetitoso ser Presidente do Sporting CP. Há 5 anos, quando estávamos falidos, ninguém, á excepção de Bruno de Carvalho, se quis chegar à frente. Hoje, com os milhões dos direitos televisivos garantidos por este Presidente e com as finanças saudáveis e o Clube a crescer, os oportunistas saem todos da toca.

É bom é que ninguém se esqueça do mais importante: o Sporting Clube de Portugal é dos Sócios e não pode estar á mercê das conspirações de certos senhores que se querem servir do Clube para tentarem limpar o mau nome que construíram na política.




Comentários

  1. Falta o mais importante: o anúncio da reestruturação financeira e o que isso implica, em termos de representatividade no Conselho de Administração, de certas figurinhas há muito conotadas com os Croquetes - que, por sua vez, estão umbilicamente ligados a todas essas personagens referidas no artigo.
    Como diria a Maria Alexandra: Sportinguistas, acordem!

    ResponderEliminar
  2. Hoje é um dia que celebro. Tanto o TuVaisVencer como o MisterDoCafé tocaram naquilo que eu e uns quantos "selvagens" e "possuidores de odios de estimação" andamos a dizer HÁ ANOS.

    Bem haja.

    ResponderEliminar
  3. Pois, mas o Sporting não é um partido político. . repito, O SPORTING NÃO É UM PARTIDO POLÍTICO.

    Isto é simplesmente incomportável, a coexistência pacífica entre estes órgãos sociais, não tem por miríades infinitesimais, qualquer hipótese de existir.

    Já começo a pensar que a tal AG Extraordinária pode ser uma boa coisa, não só se os sócios votarem a continuidade da direcção ou não, mas também votarem a destituição ou não da MAG e do CFeD... q mais que obviamente o não vão fazer (demitirem-se), mesmo depois de o terem feito em frente de câmaras de TV (vão alegar voltar atrás em nome dos superiores interesses deles. .. erro do Sporting.. )

    Se os sócios não SOUBEREM DISTINGUIR GOLPADAS, então está tudo perdido mesmo, pois qualquer porcaria asquerosa vai conseguir MANIPULÀ-LOS, se não agora, em qualquer dos tempos mais próximos.

    *MAIS CLARO QUE A ÁGUA NÃO PODIA SER*. .. Ou Bruno de Carvalho e a direcção, e eleições para os outros órgãos... ou Marta Só Ares e Muchachos, e eleições para a direcção. ponto final parágrafo.

    Isso do hoje demito-me em frente das câmaras de televisão, para depois já não me demitir e querer mandar em tudo... e coisas parecidas... é bastante típico na politica e até no futebol à Portuguesa... POR ISTO ESTES ÓRGÃOS JÁ NÃO PODEM CONVIVER MAIS...

    OS SÓCIOS TÊM QUE PERCEBER ISTO... se não querem desistir, ir a sufrágio dos sócios, SIMPLESMENTE OBRIGUEM-NOS, comecem a recolher assinaturas, e 21 vão todos a votos quer queiram quer não, a ver quem fica... PAZ PODRE SERIA O PIOR QUE PODERIA ACONTECER NO SPORTING.

    O BdC ser destituído, e os outros ganharem sem ter que ir a votos, para mim não faz o mínimo sentido, tal como como BdC ganhar e ficar tudo na mesma... POR ISSO HÁ QUE DAR SENTIDO A UMA AG EXTRAORDINÁRIA, NÃO HÁ QUE TER MEDO OU FAZER O MÍNIMO DE COMPROMISSOS (e esta até é crítica a BdC, sangue novo, ZERO DE COMPROMISSOS).

    ResponderEliminar
  4. O problema é que estes valiosos esclarecimentos só são possíveis de ler aqui. Os sportinguistas em geral só são (des)informados pelo que ouvem nos telejornais, nos execráveis programas desportivos e pelo que leem nos pasquins controlados pelos que querem destruir o Sporting ou tomá-lo de assalto.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário