Rui, Mendes e as propostas



Os Sportinguistas levaram hoje um valente murro no estômago com o anúncio da rescisão unilateral de Rui Patrício. A Comunicação Social fez questão de dizer que tudo isto foi espoletado por o Sporting ter feito exigências de última hora ao Wolverhampton.

Aparentemente, as "exigências" não são assim tão lineares. O Sporting estava em negociações com Jorge Mendes para a transferência de Rui Patrício para o Nápoles e, de repente, Jorge Mendes troca o Clube de destino e apresenta o Wolverhampton.

À primeira vista parece irrelevante o destino mas a verdade é que a percentagem de juros pagos à banca é diferente. 4% no caso do Nápoles, 12% no caso do Wolves.

Para além desta alteração, Jorge Mendes exigiu que o Sporting liquidasse uma dívida de 2.2 milhões de euros a Adrien Silva contraída pela gestão de Godinho Lopes. Dívidas são dívidas, sejam contraídas por que gestão forem, é bem certo. Mas a verdade é que Adrien, quando renovou com o Sporting na gestão de Bruno de Carvalho, "perdoou" essa dívida ao Sporting e, como tal, não devia ter vindo para a mesa nesta fase.

Se isto é motivo para um capitão, com dezanove anos de Clube, rescindir... Estamos muito mal a nível de formação do carácter dos nossos atletas! Infelizmente, muitos somos culpados por aplaudir aquela volta olímpica...




Comentários

  1. Eu não aplaudi !

    Nem fui ao Jamor ... tenho muitos anos de futebol e sabia que não ia haver outra!

    ResponderEliminar
  2. Fazem falta jogadores no Sporting como o Simão, o Figo, o Pedro Barbosa, o João Moutinho, que quando tinham Presidentes como deve ser, muito eloquentes e melhor, não usavam o Facebook, o que dava uma completa estabilidade ao Clube e por consequência, ganhávamos os títulos quase todos, tanto no futebol, como nas outras 34 modalidades(o parvo do Bruno é que nos foi dar mais 15 modalidades para nos preocupar ainda mais mas que nos dão títulos, este garoto vai destruir o Sporting, um gajo quer ser bonzinho e dar aos outros e este Bruno quer é competência, profissionalismo e dedicação para nos dar títulos, que chato o homem pá) mostravam o quanto amavam o Sporting e que davam tudo em campo sempre em prol do Sporting, mas claro, agora aparece um Bruno e jogadores como Patrício, Adrien e William que antes enchiam o curriculum com títulos, agora nao conseguem ter condições para ganhar.


    ResponderEliminar
  3. Primeiro há que confirmar se isto é verdade.

    Segundo a ser verdade: os jogadores podem fazer o que bem entenderem, agora têm de ter consciência que há leis e vivemos num estado de direito. Daí a importância dos advogados. Rescindir de forma unilateral sem ter justa causa tem consequências: o jogador terá que indemnizar o clube uma vez que este foi lesado. E são muitos milhões.

    Onde está aqui a justa causa no meio de tudo isto?

    ResponderEliminar
  4. Duas perguntas e uma sugestão.
    Há quanto tempo é o BdC Presidente do Sporting Clube de Portugal?
    Há quanto tempo o RP deu a sua última entrevista à Sporting TV?
    Revejam essa entrevista e perguntem-se quem mudou o seu sportinguismo de lá para cá.

    ResponderEliminar
  5. Eu não aplaudi a volta olímpica, bem pelo contrário critiquei veementemente essa patetice, ainda por cima depois de terem ganho um jogo em casa a um adversário muito inferior.
    O tempo tem-me dado razão, não dou o mínimo de importância aos jogadores do plantel, pois sei que, mais cedo ou mais tarde, as hipóteses de me desiludirem são muito grandes, vejo-os a quase todos como mercenários, joguetes de agentes sem escrúpulos, que mesmo com muitos anos num clube que tudo lhes deu na vida, pensam apenas nos seus interesses na hora de mudar.
    Durante todo este tempo em que o Clube foi constantemente atacado, em que a Direção foi acusada de serem os mandantes do miserável ataque à Academia, não houve um que desse a cara para sossegar os adeptos. Como se está agora a provar, estão sempre prontos a morder a mão que lhes dá de comer. No caso concreto do Patrício, penso que ele se esqueceu da fase em que era conhecido pelo Franguício, em que jogava com os pés pior que a minha filha de oito anos. Não me lembro de nenhum guarda-redes que tivesse aguentado tanto tempo na equipa principal a levar frangos como ele levava. Agora que podiamos tirar dividendos desta longa e penosa aprendizagem, Rui Patrício retribui-nos com a rescisão unilateral.
    Por mim só lhe tenho que dizer, vai e não voltes! Não lhe desejo felicidades porque estou-me perfeitmente borrifando para a sua felicidade da mesma maneira que este ingato dum cabrão se borrifou para todos nós.

    ResponderEliminar
  6. Lá está eu sempre disse que aquela cena de serem aplaudidos de pé na volta olímpica iria dar para os jogadores encherem o papo de vaidade, como quem pensa eu quero, posso e mando!
    Tenho uma sugestão: esqueçam assembleias gerais, eleições e qualquer outro tipo de 'decisão' que deveria caber aos sócios é mais fácil e prático deixem os jogadores escolher quem querem para a direcção, depois mais tarde eles irão decidir quais as modalidades que o clube deve ter, provavelmente só o futebol sénior masculino para não haver desperdício de dinheiro que lhes faz falta (mas isto é só um palpite meu), lá para mais para a frente quando lhes der jeito também deverão começar a escolher quem deve ser sócio do clube (adepto deve ser mais difícil eles impedirem), é que isto de ser sócio também deverá ir a testes, sabes assobiar? humm melhor não seres sócio é que às vezes podemos não ter vontade, atitude e não me apetece ouvir assobios.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário