Não há duas sem três: Keizer estreia-se na Liga com uma vitória



"O próximo é que é a sério". Tem sido a frase mais ouvida desde que Keizer chegou ao Sporting. Primeiro era por ser o Vildemoinhos, depois era por ser o Qarabag e ainda vamos descobrir que o Rio Ave jogou desfalcado por um qualquer motivo.

O desgaste da longa viagem a Baku foi-se fazendo sentir ao longo do jogo mas o Sporting soube ir gerindo o esforço e manter-se em vantagem.

O futebol rápido de Keizer não é baseado em grandes correrias mas sim em transições rápidas e muito bem pois a bola não se cansa. Para isto muito contribui o meio-campo com Gudelj, Bruno Fernandes e um muito dinâmico Wendel.

É indesmentível que em três jogos, sofremos três golos. Mas fico muito mais descansado ao perceber que, nos mesmos três jogos, marcámos TREZE golos. Os sinais são bastante positivos, principalmente se tivermos em consideração a azia que o Schmidt apresentava no final do jogo.

Já agora, o golo de Jovane Cabral é material para prémio Puskas! A ver se algum jornal português tem coragem de o dizer.




Comentários