É hora de dar a palavra aos sócios



O Sporting desperdiçou ontem a última grande oportunidade que tinha para conquistar um título esta época. Neste momento já perdemos Supertaça, Taça, Campeonato e Taça da Liga. Sobra a Liga Europa mas o histórico diz que se não cairmos nesta ronda, será na próxima.

Reforço que não acredito que este Conselho Diretivo seja mal intencionado na gestão do Clube mas é por demais evidente que estão longe de conseguir fazer aquilo que se propuseram quando se apresentaram a eleições

Durante este ano e meio, tentei ser uma fonte de apoio inequívoco ao Clube. Os superiores interesses do Clube estão acima de das opiniões individuais e o resultado da democracia ditou a legitimidade de Frederico Varandas para conduzir os destinos do Sporting durante os seguintes quatro anos. Infelizmente, o resultado das ações desta Direção têm sido desastrosos.

Ainda que se entenda a contenção financeira (30M de dívida de curto prazo quando chegaram ao poder), a política desportiva falhou redondamente. A dispensa/venda/empréstimo de jogadores não foi propriamente gerida e a perda de qualidade é notória. Hoje o Sporting não só tem um plantel de nível bastante inferior aos seus rivais naturais como também fica atrás de equipas como Vitória de Guimarães e Sporting de Braga.

Também na relação com os sócios e adeptos se falhou. Apesar da fratura já existir, esta Direção foi incapaz de seguir a diretriz principal do seu plano de candidatura "Unir o Sporting". Não nego que membros da atual direção foi perseguida e ameaçada por certas pessoas mas não se deve perseguir o todo por culpa de alguns. A direção de um Clube tão grande como o Sporting tem a obrigação de ser magnânima e capaz de aceitar que existam pessoas contra si. O Estádio José de Alvalade está cada vez mais vazio. Os adeptos cada vez menos ligados à equipa. Um Clube precisa dos seus adeptos, sem eles não há nada. Enquanto houver Sportinguistas, há Sporting. Quando deixarem de haver, não sobrará nada.

Para piorar, esta direção viu o Sporting Clube de Portugal ser prejudicado várias vezes e manteve-se em silêncio. Não reagiu a nada. Não levou o caso Bruma a tribunal, não denunciou "o que se passou em 15/16" e, acima de tudo, continua passiva jogo após jogo. O Sporting já não é motivo de chacota, é um tapete onde os árbitros limpam os pés antes de entrar em campo.

Dito isto, adiciono que o pior da direção de Bruno de Carvalho foi o fim. O momento em que se isolou e recusou a perceber que o seu tempo no Sporting tinha acabado. Ninguém quer ver outro presidente do Sporting a passar pela mesma situação.

Que a direção de Frederico Varandas tenha a capacidade emocional de entender que o seu plano falhou, que o admita publicamente e, caso sinta necessidade, dê oportunidade aos sócios de se expressarem sobre o que se está a passar.





Comentários