Ano de Europeu e o Sporting sem selecionáveis por culpa própria



Estamos a alguns meses do UEFA European Football Championship, a competição de seleções cujo detentor do título é Portugal. Para esse título muito contribuiram jogadores como Rui Patrício, Adrien Silva, William Carvalho e João Mário. Todos eles titulares. Todos eles, à altura, jogadores do Sporting Clube de Portugal. A estes somaram-se outros também formados de Leão ao peito.

Hoje, no plantel do Sporting, praticamente não há seleccionáveis. E os que há não são capitalizados. O Sporting perdeu a sua identidade formadora e ganhou medo em apostar nos talentos que vão aparecendo. Veja-se o tempo que Max demorou a ser titular.

O Sporting também se tem mostrado incapaz de valorizar estes jogadores, criando pressão para a sua convocatória. A diferença para o que fazem os nossos rivais é gritante. O Porto não pára de enaltecer Vitor Ferreira ou Fábio Silva. O Benfica tem sempre Tomás Tavares entre os convocados e vai lançando Jota e Florentido a espaços. Até o Braga aposta loucamente nos irmãos Horta, Trincão e no "nosso" Palhinha.

Em ano de Europeu, idenfico os seguintes como possíveis candidatos a uma vaga nos vinte e três de Fernando Santos:

Guarda-redes

Luis Maximiano (21)

Guarda-redes titular do Sporting com excelente capacidade de reação, boa saída dos postes e capaz de comandar a defesa. Para já, não parece ser tão forte nas grandes penalidades como Rui Patrício mas merecerá um lugar no Europeu, nem que seja como terceiro guarda-redes.


Defesas

Nuno Mendes (17)

A posição de defesa esquerdo, talvez a par de ponta de lança, é a mais carenciada de jogadores talentosos. Nuno Mendes tem dezassete anos, fez uma promissora pré-época com Marcel Keizer e nunca mais ouvímos falar dele, a não ser nas boas exibições que vai fazendo nos sub23.

João Silva (21)Eduardo Quaresma (17)

A dupla de centrais Coates/Mathieu é boa mas faltam claramente alternativas. Tanto João Silva como Eduardo Quaresma já mereciam mais minutos na equipa principal, principalmente se Tiago Ilori não conta para Jorge Silas.


Médios

Francisco  Geraldes (24)

A carreira de Francisco Geraldes foi, até ao momento, pessimamente gerida. Os empréstimos e os call backs constantes não ofereceram a estabilidade necessária para que o criativo médio tenha os minutos necessários para se impor. A saída de Bruno Fernandes pode levar a que concorra com Vietto pela posição.

O seu histórico nos escalões de formação da seleção é muito discreto e isso também não ajuda à causa mas, com a devida oportunidade, poderá mostrar que ainda não é tarde para ser desconsiderado.


Rodrigo Fernandes (18)

Jogando a seis ou a oito, Rodrigo Fernandes já podia estar no plantel principal. Podia ter disputado o lugar com Doumbia, principalmente na altura em que Battaglia esteve lesionado.


Avançados


Camacho (19) / Jovane Cabral (21)

Começaram a época tapados por Jesé, Bolasie e um esquema que empurrava Vietto para uma das alas. A isso somou-se a lesão de Jovane Cabral. Hoje não há nenhum motivo para que um deles, ou ambos, não sejam titulares. Entre Camacho, Jovane e Plata, temos extremos para presente e futuro.


Pedro Mendes (20)

Tem 1,87m e já fez dezasseis golos e duas assistências esta época. Qual é a dúvida que merece um lugar, e minutos, no plantel principal?


Então, o que impede?

A instabilidade à volta da equipa e os resultados menos favoráveis, ligaram o "modo sobrevivência" no futebol do Sporting. Há muito medo de correr riscos e, consequentemente, dar espaço a jovens.
Ignoramos, assim, que estamos a hipotecar o futuro. E não é só uma questão desportiva. Quanto vale um jovem internacional português?

O Sporting Clube de Portugal tem que se libertar dos seus complexos e avançar.




Comentários