2017-04-25

Luis Filipe Vieira apanhado a dar a cartilha em directo


Luís Filipe Vieira, o estadista, foi apanhado no passado Sábado a pressionar jornalistas para que fizessem algumas perguntas a Jorge Jesus na conferência de imprensa.

Com a sua típica bazófia, pegou no telemóvel onde tinha alguns videos e foi dizendo:
"Vou estar atento... Nesta conferência vocês vão perguntar lá ao marquês pelos penalties! Vamos lá ver do que é que vocês vão falar...", Luis Filipe Vieira
Este vídeo é retirado do post do Artista do Dia que pode ser lido aqui (LINK).




E os jornalistas calados. Nem um piu. Insisto na pergunta: Quem castrou os jornalistas?

Esta situação é reveladora de duas grandes verdades:

1) Luís Filipe Vieira e o benfica têm controlo total sobre a imprensa. Mesmo aquele que pareça mais isento não tem força para publicar nada pois está sempre condicionado por "directores adjuntos" que coordenam o que deve ou não sair.

2) Somos demasiado moles para sermos campeões. No Auditório Artur Agostinho, em nossa casa, deixamos que alguém fale assim. Deixamos que, à frente dos nossos olhos, se coaja jornalistas e se manipule a verdade.

Se não podemos fazer nada em relação ao primeiro ponto, talvez já vá sendo tempo de começarmos a ter os testículos no sitio...



2017-04-24

Pressões a Soares Dias podem ter ditado o resultado do derby

"P.S.1 Ontem, no intervalo do dérbi, Luís Filipe Vieira, Rui Costa e Paulo Gonçalves, fizeram uma espera ao árbitro Artur Soares Dias para lhe pedirem satisfações por alegados penaltis não assinalados a seu favor. A cena de coacção e intimidação, habitual nestes protagonistas como foi por exemplo relatado em Paços de Ferreira, foi testemunhada pelos delegados da Liga presentes em Alvalade.
O Sporting CP aguarda o relatório dos árbitros e dos delegados, bem como a reunião do Conselho de Disciplina para então decidir se será mais uma vez forçado a apresentar queixa junto deste órgão.", post de Nuno Saraiva no dia a seguir ao derby.



A verdade é que o árbitro entrou para a segunda parte com uma enorme capacidade de inclinar o campo. A falta que origina o 1-1 nem sequer existe. Mas o que esperar de mais uma "parceria" Adidas?






2017-04-23

Um título que cheira a pó, a roubo e a sangue


O Porto acaba de hipotecar as suas hipóteses de ser campeão. As do Sporting foram hipotecadas por terceiros já há algumas semanas.

O golo mal anulado a Alan Ruiz contra o Marítimo era o suficiente para nos manter na corrida. De todos os murros no estômago que levámos esta época, bastava UM não ter acontecido para a história deste campeonato ser diferente. Mas eles não correram riscos, deram vários para garantir que íamos mesmo lá para baixo.

Se imaginarem que houve jogo da mala sempre contra nós enquanto estivemos na corrida e que árbitros foram jantar ao museu da cerveja, em quanto não terá ficado este título do benfica?

Mais, se tivessemos tido a coragem de fazer pressão sobre a arbitragem desde o primeiro dia em quanto mais tinha ficado? Nesta época, 17 clubes forem prejudicados para que um pudesse ser campeão de forma folgada. Como no ano anterior e nos outros dois antes desse.

Estamos dispostos a gastar o mesmo dinheiro para sermos campeões na próxima época? Ou vamos continuar a ser anjinhos e a acreditar que tudo se resolve dentro das quatro linhas?

A maior prova disto é que até acontecem assassinatos na noite antes de um derby e não há consequências à vista. Amanhã a Sagres faz um video a apelar à paz no futebol e toda a gente se esquece do que aconteceu. Todos menos aquele filho que ficou sem um pai morto às mãos de um benfiquista. Mais um...

Vamos chegar ao final da época com cheiro a pó, a roubo e a sangue. O título da vergonha está bem entregue ao campeão da vergonha. Este futebol está podre. E nós demasiado mansos para mudar algo.



Luis Filipe Vieira branqueia assassinato podendo, assim, gerar mais mortes



Alguém tem dúvidas que são aquelas "cartilhas" que incendeiam o futebol em Portugal? Aquele discurso de ódio constante que procura transformar em monstros inimigos tudo aquilo que não é o benfica?

Ontem aconteceu uma tragédia, uma pessoa foi brutalmente assassinado por ter uma camisola do Sporting vestida. Os órgãos de comunicação social tentam minimizar a coisa dizendo como "foi um italiano" ou "membro de uma claque" mas nenhuma dessas adjectivações supera aquilo que ele realmente era: uma pessoa.

Durante o dia, Bruno de Carvalho tentou acalmar as águas mas Luis Filipe Vieira, no final do jogo, veio incendiar ainda mais com um completo discurso de ódio. Discurso esse que não me admirava nada que tivesse vindo numa das famosas "cartilhas".

"Sabemos que provocação gera violência e sabemos quem tem contribuído para isso.", Luis Filipe Vieira

Em vez de pedir desculpa em vez dos adeptos que representa, escolhe alimentar ainda mais o ódio. É uma pena sermos tão civilizados enquanto Sportinguistas. Esta frase do Vieira também me soa a provocação e ninguém lhe passou com um carro por cima.

Vieira foi a nossa casa insultar-nos a nós e ao nosso Presidente. Mas a culpa disto é nossa! Fomos permitindo ao longo dos anos que certas atitudes fossem acontecendo e apenas dizíamos "pois, mas nós somos diferentes" e "assim temos moral para criticar".

Eu não quero a moral para criticar. Eu queria era que não tivessem acontecido dois homicídios de Sportinguistas às mãos de benfiquistas.

Ainda ontem demos um exemplo de civismo que se mostrou errado. Recebemos os que apoiam e defendem assassinos na nossa casa e expusemos famílias Sportinguistas ao mesmo risco que o pobre Rui Mendes sofreu.


Vejam bem como estes tipos no video dizem "2-0" para a câmara numa clara alusão aos dois adeptos do Sporting assassinados. Não foi o Sporting que começou as provocações e muito menos foram os Sportinguistas que mataram inocentes.

É bom que os Sportinguistas abram os olhos. Não podem brincar connosco. Somos perseguidos, tal como os judeus, por sermos "diferentes". Não nos podem ameaçar e, muito menos, nos podem matar. O medo não mandará no Sporting Clube de Portugal!

Até ao fim desta época e durante a próxima, estejam vigilantes. Actuem sempre que tentarem fazer Farinha connosco. Denunciem, lutem pelo Sporting. Não se preocupem com a "moral para criticar". Preocupem-se em chegar vivos ao final da época.





2017-04-21

Apanham cães na rua, matam-lhes a fome e metem-nos a ladrar por eles


Há três anos a SIC publicou uma reportagem sobre a vida de António Veloso. Nessa reportagem viu-se o quão baixo tinha descido na sua vida. Chegando mesmo a não ter dinheiro para comer. Viveu à conta da bondade das pessoas e aproveitou-se do seu passado como jogador para capitalizar simpatias.



É deste tipo de gente que o Estado Lampiânico se alimenta. Vão buscá-los ao seu momento mais baixo, dão-lhes de comer e uma camisa lavada e metem-nos a falar por eles.




Tornam-se assim donos delas. Vivemos num tempo de futebol hipócrita dentro das quatro linhas e caridadezinha fora delas de forma a limparem a imagem. No fundo é como o tal email da APAF. Pode ser que dê jeito mais à frente...





Quem quer ser campeão, sobe ao poleiro!



"My greatest challenge is not what's happening at the moment, my greatest challenge was knocking Liverpool right off their fucking perch. And you can print that.", Alex Ferguson sobre a luta pelo título 2002/03 e os seus rivais

Quando Fergie chegou ao Manchester United percebeu muito bem para onde apontar agulhas. Na altura o Liverpool contava com 16 títulos contra 8 do Manchester United.

Nos primeiros anos até houve uma grande diferença entre Liverpool e Manchester United. Mas Ferguson levou água ao seu moínho e conseguiu fazer aquilo que faltava para o Manchester United se tornar um clube histórico: tirar o Liverpool do seu poleiro!

E tirou-o com tanta força que o Liverpool nunca mais se endireitou.

Pouco importa que o Liverpool se queixe agora das tácticas do Ferguson, o objectivo foi cumprido. O Liverpool caiu e o Manchester United agarrou o lugar do poleiro. O Manchester não quis ser o campeão da superioridade moral e da verdade. Quis ser campeão de Inglaterra e... foi!

É a prova que no futebol, como na vida, não há espaço para dois galos no mesmo poleiro. Muito menos há espaço para ir partilhando o poleiro.

Neste momento o poleiro é do benfica e, se nós queremos ser campeões, temos que ir lá acima e derrubá-los e meter lá a nossa bandeira. Não podemos ser vencedores sem transformar os outros em derrotados.

Ninguém, nunca, nos irá dar nada. Ninguém, nunca, nos irá facilitar nada! Teremos sempre que ser nós a ir lá buscar aquilo que se torne nosso! Nunca por direito, sempre por conquista!





2017-04-20

O grande erro do presidente da APAF


O presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) emitiu um comunicado para esclarecer uma polémica levantada pelo diretor de comunicação do FC Porto no Porto Canal.

Do extenso comunicado destaco a seguinte frase:
"Na boa fé, com que sempre pautei a minha conduta, pessoal e profissional, negligenciei momentaneamente, o facto de que o futebol português tem sido, por estes dias, um local feio para estar."
Realmente, o grande erro do presidente da APAF foi este. Agiu de boa fé. No futebol português não há espaço para "boas fés".

É que enquanto uns agem de boa fé, outros escrevem emails com:
"O presidente da APAF não é de confiança total [...] mas não é bom tê-lo contra nós porque vai ser testemunha num processo nosso", num alegado email de Paulo Gonçalves

Luciano não percebeu que o problema não foi o pedido de bilhetes mas sim o que lhe queriam fazer utilizando esse veículo.

É bom que aprenda, caro Luciano Gonçalves. No futebol não há boas fés. Há gente que está sempre pronta a cobrar um favor. Imagine quanto é que não iam custar à sua integridade estes cinquenta bilhetes...

Também aproveito para perguntar à FPF quanto tempo mais vai demorar até abrir um inquérito a alguém responsável no benfica para questionar o que tinha a ganhar com o tal testemunho no tal processo.



Está encontrado o ladrão de serviço: Soares Dias


Soares Dias, o tal que nos roubou violentamente em Guimarães, será o árbitro do derby do próximo Sábado.

Espero bem que nenhum Sportinguista lhe deixe as orelhas frias!

Os delegados ao jogo serão Manuel Castelo e Rui Manhoso. Que nome tão apropriado, não é?





É hora de vencer o tirano


O que faria um judeu se estivesse na mesma sala que Adolf Hitler e tivesse uma arma na mão?
Toda a gente esperaria que ele perdoasse e saísse da situação como o Better Man. Tal como esperam que o Sporting aceite todo o mal que lhe fazem.

Mas, e se na sua cabeça estivessem frescas as memórias da sua família a entrar para o comboio? Se as suas costas ainda latejassem das coronhadas que levou enquanto carregava pedras na lama? Se na sua retina ainda estivesse impressa a imagem do corpo do seu filho morto no topo de uma pilha de outros corpos?

Com a devida distância, nós somos esse judeu. Ainda temos bem fresco na memória o peito de Rui Mendes a sangrar e a maneira como o grupo não organizado de adeptos do benfica o celebra. Ainda temos bem presente na memória os golos legais que nos invalidaram, os penalties que não nos assinalaram, os vouchers que os árbitros recebem, os telefonemas, os ataques ao nosso Presidente, as cartilhas, os ataques nos jornais, as malas e tudo o que mais há de errado no futebol português.

Sábado, em campo, vamos enfrentar um tirano. Vamos dar a outra face? Ou vamos aproveitar a oportunidade para acabar com ele de vez?

Queremos um Sporting livre e que possa lutar pelo título como os outros participantes do campeonato ou queremos um campeonato onde há um vencedor pré-definido e onde os outros contendores se limitam a jogar a sua sorte para onde o ditador o permitir?

Sábado joga-se também o principio da próxima época. Ganhando Sábado, começamos a ganhar o futuro porque o tirano caiu. Perdendo... bem, vocês sabem o que aconteceu ao judeu...



2017-04-19

O vergonhoso processo instaurado pela Federação ao Sporting.


O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol decidiu instaurar um processo disciplinar ao Sporting na sequência de uma queixa de dois clubes (Leixões e Freamunde, ao que apurámos) por alegada utilização irregular de Ryan Gauld e André Geraldes na equipa B dos leões.

Este processo não é mais que uma reles retaliação da Federação e de um par de clubes desesperados para não descerem na secretaria.

A lei é bastante clara: Um jogador não pode ser utilizado por mais do que dois clubes da mesma zona confederação nas competições que compõe uma época. Leixões e Freamunde alegam que o empréstimo oi rescindido unilateralmente, o que é uma falácia pois tanto o Sporting como o Vitória de Setúbal estiveram de acordo no que toca à rescisão do contrato de empréstimo.

Porque fizeram isto? É semana de derby que pode decidir o campeonato, não é? Estamos perante mais um caso patético em que se tenta diminuir a imagem do Sporting Clube de Portugal a qualquer custo. Falta saber se a Federação tem a coragem para acabar com isto atempadamente ou se vai deixar arrastar enquanto der jeito.

É hora dos Sportinguistas se unirem em torno da equipa! Não podem brincar assim connosco!